31 de jan de 2010

Sacrifício

"Tudo será sempre igual, se fizermos tudo sempre da mesma forma?"

Aqui viemos, cheios de esperança
esperamos algo sempre com confiança
cansamos de esperar, perdemos a esperança
morremos e nascemos de novo, sem lembranças

aí começa tudo novamente
não igual, mas diferente
aqui voltamos, sem esperança

"Nós transformamos cada progresso científico em algo a serviço do mal."
"Se o supérfluo é pecado, a civilização baseia-se no pecado"

30 de jan de 2010

Sankofa

Sankofa - pássaro africano de duas cabeças, segundo a filosofia africana significa voltar ao passado para resignificar o presente.
O pássaro tem uma cabeça voltada para o passado e outra cabeça voltada para o futuro. Através do resgate da memória do passado, fazemos história no presente e pautamos a história do futuro.
“nunca é tarde para voltar e apanhar aquilo que ficou atrás”

13 de jan de 2010

Emicida

De chegada em São Paulo, no Sarajevo,
Emicida na parada! Foi uma noite ideal (...)

A chegada de Emicida nas paradas em 2009
apresenta-nos o melhor, do Rap nacional.

Quem não viu, conheça:
Quem não ou - viu ... , ouça (...!)

Singular

"Todo o povo tem sua versão do paraíso
eu tenho também
só que lá se chega vivo."

11 de jan de 2010

O filho do Brasil: de Luiz Inácio a Lula - Denise Paraná

Faltas e possibilidades, complexidades e contradições, gritos e silêncios, euforia e medo, velho e novo, fartura e miséria, bem e mal, nem mais, nem menos...
Ler o livro "O filho do Brasil: de Luiz Inácio a Lula" de Denise Paraná é ler a história de milhões de brasileiros, é ler nas entrelinhas um pouco de nossa própria história é defrontar-se com os Silvas e os Não-Silvas do Brasil.

"Deste modo, relembramos que nossa hipótese de trabalho central é que da cultura da pobreza, na qual encontramos um homem alienado e revoltado, pode emergir a cultura da transformação, na qual, através de condições específicas, a energia da revolta pessoal sublima-se em uma capacidade organizativa e a alienação abre espaço para o surgimento de novas formas de consciência social." p.334.
Denise Paraná. O filho do Brasil

***
"Certamente as vidas dos pobres não são cativantes. As histórias que aparecem neste volume revelam um mundo de violência e de morte, de sofrimentos e privações, de infidelidades e de lares desfeitos, de delinquência, corrupção e brutalidade policialesca, assim como a crueldade que os pobres exercem com os de sua classe. Estas histórias também revelam uma intensidade de sentimentos e de calor humano, um forte sentido de individualidade, uma capacidade de gozo, uma esperança de desfrutar uma vida melhor, um desejo de compreender e de amar, uma boa disposição para compartilhar o pouco que possuem, e o valor de seguir adiante frente a muitos problemas não resolvidos." p.22
Oscar Lewis. Os filhos de Sánchez

9 de jan de 2010

Salvador

Bahia que encanta

Bahia terra da alegria
Do carnaval e do axé
Terra de gente bonita, de praias e avenidas.
Terra dos mistérios, dos encantos e do amor.
Jardim de Alá, local de encontro que Deus abençoou.

Bahia terra de todos os santos
Do abara e do acarajé
As baianas Cira e Dinha já sabem como o povo quer
Pimenta, vatapá, salada e camarão
Ninguém resiste a tamanha tentação

Bahia bela e bendita
Das águas sagrada do Dique do Tororó
Do por do sol da Barra, da praia de Plakaford.
Do Pelourinho, centro histórico de Salvador.
Nas suas ruas de pedras muita gente chorou
Tristeza e alegria a beleza imperou
Patrimônio da humanidade, o mundo já consagrou.
Museus, igrejas e catedrais.
Ninguém esquece... jamais

Bahia terra da pluralidade
Onde se funde o plural e o singular
Todas as raças se unem numa festa popular
Carnaval, Lavagem do Bonfim, Festa da Conceição e Yemanjá.
Se o trio elétrico não veio
A roda de samba pode esquentar

Bahia, terra dos orixás.
Do sincretismo religioso
De Xangô a Jeová
Nesta terra mística todos podem acreditar


Bahia terra dos poetas
Dorival Caymi, Caetano Veloso e Gilberto Gil.
Ídolos do nosso Brasil,

Bahia terra que encanta
Terra do sonho e da paz
Quem chega aqui nesta terra
Não quer sair nunca mais

Tânia Balthazar

Fonte: http://sitedepoesias.com.br/poesias/17627

6 de jan de 2010

Sherlock Holmes

“as coisas aparentemente mais insignificantes são da maior importância”
"Elementar, meu caro Watson"

5 de jan de 2010

Bukowski

Há um pássaro azul em meu peito
que quer sair
mas sou duro demais com ele,
eu digo, fique aí,não deixarei que ninguém o veja.

Há um pássaro azul em meu peito que
quer sair
mas eu despejo uísque sobre ele e inalo
fumaça de cigarro
e as putas e os atendentes dos bares
e das mercearias
nunca saberão que
ele está
lá dentro.

Há um pássaro azul em meu peito
que quer sair
mas sou duro demais com ele,
eu digo,
fique aí,
quer acabar comigo ?

Há um pássaro azul em meu peito que
quer sair
mas sou bastante esperto, deixo que ele saia
somente em algumas noites
quando todos estão dormindo.
Eu digo: sei que você está aí,
então não fique triste.
Depois, o coloco de volta em seu lugar,
mas ele ainda canta um pouquinho
lá dentro, não deixo que morra
completamente

E nós dormimos juntos
assim
como nosso pacto secreto
e isto é bom o suficiente para
fazer um homem
chorar,
mas eu não choro,
e você?

[ BUKOWSKI ]