28 de nov de 2009

Palavras

Letras navegam
no meu dia a dia
no céu da minha boca
numa sinfonia.

Letras naufragam
e se misturam
viram palavras
e embriagam.

Letras, descem
do céu da minha boca
da minha cabeça
ou vem ao léu ??

Letras,
que formam palavras
que passam e vão
em vão????

Neste "vão" só Deus sabe!

L e T R a S

27 de nov de 2009

Cenas da vida na aldeia

Amós Oz
Os que herdam
"O estranho não lhe era estranho. Alguma coisa em sua aparência repeliu e ao mesmo tempo atraiu Arie Tselnik desde o primeiro olhar, se é que aquele era o primeiro olhar."
Os que cavam
O ex-deputado Pessach Kedem era um velho corcunda, alto, irascível e vingativo...tendinoso, nodoso, só não diz se era p r e c o n c e i t u o s o.
Amaldiçoava, xingava, insultava ... nunca perdoou, nada esqueceu. "Ele achava que agora, nestes nossos tempos, chegara uma época na qual todas as intenções dos homens são egoistas e até um tanto suspeitas. Já estavam longe os dias nos quais os homens, pelo menos alguns deles, pelo menos aqui ou acolá, ainda amavam e estimavam uns aos outros sem pensar em contas a ajustar. Nestes novos tempos, todos, sem exceção - assim o velho repetia vezes sem fim a sua filha -, todos vivem armando golpes. Hoje todo mundo só procura um meio de arrebatar algumas migalhas da mesa do próximo (...). Tudo hoje se faz calculada e intencionalmente, e na maioria das vezes é com intenção desprezível."
Os que são estranhos
"E a distância da comiseração ao amor é como a distância da lua à poça que a reflete."
"...a vida só tem sentido se é dedicada a algum ideal ou sentimento em torno dos quais tudo gira. Sem ideal ou sentimento a vida seria vazia e insossa, e ele não teria interesse em vivê-la."
Os que cantam ...

25 de nov de 2009

Street View

Viaje sem sair do navegador...
Clique no Google Maps e arraste o bonequinho amarelo até o local desejado.
Navegue sem precisar viajar...

23 de nov de 2009

O livro e a revolução I

Em março de 1872, um livro aterrissou na mesa do censor czarista: 674 páginas de densas análises estatísticas...."É possível afirmar com certeza que muito poucas pessoas na Rússia a lerão, e ainda menos a compreenderão " disse o primeiro censor. O segundo censor afirmou que as críticas no livro não se aplicavam a Rússia, onde a "exploração capitalista" tratada pelo livro nunca fora vivenciada.
Assim, O capital de Marx foi lançado na Rússia...a obra levou a Rússia a fazer a revolução russa mais cedo do que em qualquer outra sociedade ocidental a qual se dirigia.
Figes, Orlando. A tragédia de um povo. São Paulo: Record, 1999.

22 de nov de 2009

Lavoura arcaica

O filme apresenta uma contestação dos valores tradicionais através do personagem principal.
O personagem principal se afasta da família e ao retornar ocorre um choque entre os valores tradicionais e os valores modernos provocando uma ruptura da própria família, com o assassinato de um membro desta. A entrega ao desejo e à vida, à saude, à vontade, à libertação do próprio corpo, à sorte, resulta num 'sacrifício', no assassinato, na morte.

"- Toda ordem traz uma semente de desordem, e a clareza uma semente de obscuridade....
- É muito estranho o que estou ouvindo.
- Estranho é o mundo, pai, que só se une se desunindo. Erguido sobre acidentes, não há ordem que se sustente."
"O galho da direita era um desenvolvimento espontâneo do tronco, desde as raízes; já o da esquerda trazia o estigma de uma cicatriz, como se a mãe, que era por onde começava, fosse uma protuberância mórbida pela carga de afeto".

Tradição, paciência .... como virtude X Ruptura - impaciência, brevidade como obceno/suspeito.
Um filme que me fez lembrar, recordar minha tenra idade, um filme que me fez sentir o cheiro, as vontades, as angústias, os medos, trouxe flash back de lembranças que não deixam saudades.

11 de nov de 2009

Festa

A Folha na Festa
Cecília Meireles

Esta flor
Não é da floresta.

Esta flor é da festa
Esta é a flor da giesta.
É a festa da flor
E a flor está na festa.
(E esta folha?
Que folha é esta)
Esta folha não é da giesta.
Não é folha de flor.
Mas está na festa.
Na festa da flor
Na flor da giesta.


(Do livro "Ou Isto ou Aquilo")

Onde está a folha? Onde está a flor? Onde está a festa?
Onde estás? Onde estou? Quem eu sou?
Deixo o absurdo de certas conveções
Fico com o absurdo das minhas invenções. Nita

Cidades

"A cidade tentacular, a cidade labiríntica, pode ser percorrida em diferentes velocidades, e a partir de inúmeros pontos de vista. E a cada uma dessas velocidades e a cada um desses pontos de vista, se revelará uma cidade diferente. Uma coisa só será considerada real ou fantasiosa, verossímel ou inverossímel e, banal ou insólita, a partir da pressa e da altura em que a observemos."

Cidade verde de Magdeburgo. Alemanha



"De repente estou só. Dentro do parque, dentro do bairro, dentro da cidade, dentro do estado, dentro do país, dentro do continente, dentro do hemisfério, do planeta, do sistema solar, da galáxia - dentro do universo, eu estou só. De repente. Com a mesma intensidade estou em mim. Dentro de mim e ao mesmo tempo de outras coisas, numa sequência infinita." Citação ?

10 de nov de 2009

Internetês

Ñ posso fik nm
+ 1 min com vc
Sintu mt mô +
naum podi sê

Moru em
Jaçanãnnn
xi eú perdê essi
Trem ki sai
agora as 11hr
só amanhã di
manhã

Adoniran Barbosa

9 de nov de 2009

Sem título

Nasci e quando vagi, meu vagido não foi gravado
E tudo se perdeu no silêncio do firmamento
Foi o primeiro grito que dei, e não foi de alegria

Foi minha primeira dor, meu primeiro sofrimento.

8 de nov de 2009

Second Life na Bienal

O Fiteiro Cultural Second Life, da artista Fabiana de Barros, é uma novidade nas obras interativas na Bienal do Mercosul. Trata-se da Casa Milagrosa localizada na plataforma Second Life.
Há também panfletos ou santinhos da SANTA MILLA, com a seguinte oração:

"ORAÇÃO PARA MILLAGROSA VELLA
Santa das causas virtuais
Gloriosa Santa Milagrosa ilumina com sua Vella meus caminhos virtuais, minha memória e meus arquivos. Leva meus e-mails. Gloriosa mártir dos ataques de hackers, das interrupções de downloadas, dos bugs e dos crashs. Me protege dos vírus. Gloriosa mártir! Portadora da web, da internet e dos sites, intercedei por nós. Livrai-nos dos flagelos de filtros anti-spam, de senhas incorretas e da quebra de disco rígido. Gloriosa mártir! Nas viagens virtuais de terra, subterrâneo, mar e ar, livrai-nos da perdição e corrupção dos arquivos, Leve-nos ao Google, ao Second Life, ao Facebook, ao Myspace, ao Youtube...até o porto seguro da felicidade eterna. Imploramos por updates nos nosso computadores. Salve navegantes! Amém

Para que seu pedido aconteça faça copy/paste 3 vezes, e reze uma Ave Maria e um Pai Nosso.
CASA MILLAGROSA@SECOND LIFE
FITEIRO CULTURAL
Fabiana de Barros"

7 de nov de 2009

Lucidez

Se de um lado a Nita encontra homens ruins, do outro lado a Jorce encontra homens maus, e não venham falar num porvir em "homens de BOA vontade" que me ponho a rir!"

Imagem: Vladimir Kush

Crueldade e sofrimento

"A crueldade entre homens, indivíduos, grupos, etnias, religiões, raças é aterradora. O ser humano contém em si um ruído de monstros que liberta em todas as ocasiões favoráveis. O ódio desencadeia-se por um pequeno nada, por um esquecimento, pela sorte de outrem, por um favor que se julga perdido. O ódio abstracto por uma ideia ou uma religião transforma-se em ódio concreto por um indivíduo ou um grupo; o ódio demente desencadeia-se por um erro de percepção ou de interpretação. O egoísmo, o desprezo, a indiferença, a desatenção agravam por todo o lado e sem tréguas a crueldade do mundo humano. E no subsolo das sociedades civilizadas torturam-se animais para o matadouro ou a experimentação. Por saturação, o excesso de crueldade alimenta a indiferença e a desatenção, e de resto ninguém poderia suportar a vida se não conservasse em si um calo de indiferença". Edgar Morin, in 'Os Meus Demónios'

5 de nov de 2009

Uma traição inqualificável - Luis Buñuel

"(...)
Abri a janela.

O vento, grotesco, embateu contra as paredes e meteu o nariz por todo o lado. Onde causou verdadeiro terror foi no cesto dos papéis; descansavam tranquilos e, ao darem pela presença do monstro, assustados, endoidecidos, treparam uns por cima dos outros, fizeram remoinho e fugiram em todas as direções, açoitando-se no balde e debaixo do armário.
É que o vento é o gato dos papéis.
Francamente: fiquei mosca com tanta informalidade e tão pouco interesse em folhear a minha obra, pelo que o admoestei com severidade. Então, fingindo o maior cuidado, revistou milhares de cartas de papel, fazendo-as estralejar como um baralho de cartas; subitamente, lançou-as ao espaço, num ápice, todas de um só vez, através da janela estupefacta, que abria a boca de assombro, e saiu atrás delas.
Fiquei pasmado, insensível, desencadernado para sempre. Levara a minha obra! A minha mais definitava obra voava a caminho do horizonte, convertida em gaivota!"
(...)

Luis Buñuel

1 micro conto

Ela votou o melhor para todos
Todos voltaram-se contra ela
.

2 de nov de 2009

Livre

Quero fazer uns 2 versos
despertar minha poesia!
quero voltar ao começo
realidade?fantasia?nostalgia?

Quero escrever para os outros
quero escrever para mim
Quero rasgar-me nos versos
em tantos pedaços sem fim

Quero soluçar de prantos
e afogar-me em risos
E ao ler livrar-me de todos
Só. Presa aos meus LIVROs

1 de nov de 2009

Feriado

2 caminhos
uma direção
2 lógicas
uma razão
muitas vidas
um coração
2 destinos:
um feriadão.

Ponte Internacional Mauá Fronteira Brasil - Uruguai



Fotos tiradas da Internet