31 de jul de 2009

Embuste

Em cada nova estação uma nova aproximação
Basta chegar agosto para mais uma aparição

Marte se aproxima da Terra
Morte se aproxima de nós ?

... é possível confundir a morte na vida, e até na rua

mas impossível confundir marte com uma segunda lua
A maior aproximação dos útimos anos entre a terra e marte aconteceu no dia 27/08/2003.

30 de jul de 2009

Chuang Tzu em A Montanha dos macacos.

"O Príncipe de Wu foi de barco à Montanha dos Macacos.
Logo que os macacos o viram, fugiram em pânico, e esconderam-se nos topos das árvores.
Um macaco, porém, estava inteiramente despreocupado, pulando de galho em galho – uma extraordinária demonstração!
O Príncipe atirou uma flecha no macaco, mas este, como um malabarista, pegou a flecha no ar. Com isso, o Príncipe ordenou a seus companheiros que atacassem em conjunto,
Num instante o macaco foi atingido por várias flechadas e caiu morto.
Em seguida, voltou-se o Rei para o seu companheiro Yen Pu’i:
“Viu o que aconteceu?”, disse-lhe. “Este animal exibiu a sua esperteza. Confiou em sua própria habilidade. Pensava que ninguém fosse pegá-lo. Lembre-se disto! Não confie no valor nem no talento, quando lidar com os homens.”
Quando retornaram a casa, Yen Pu’i tornou-se discípulo de um sábio, para libertar-se de tudo que o fizesse se destacar.
Renunciou a todos os prazeres.
Aprendeu a esconder toda a “diferença”.
Em breve ninguém no Reino sabia o que pensar dele.
E assim, passaram a reverenciá-lo com temor."

MERTON, Thomas. A Via de Chuang Tzu. Petrópolis: Editora Vozes, 1974.

28 de jul de 2009

Porquês nos bastidores

Em um ato
de fato
escorro
corro
tão ralo
rumo sem rumo
perdido
sem entender
o porquê correr
o porquê crescer
pra depois morrer.

27 de jul de 2009

Leia-me, se for capaz


"A minha pele de ébano
é a minha alma nua,
espalhando a luz do sol,
espelhando a luz da lua.

Tem a plumagem da noite
e a liberdade da rua.
Minha pele é
LINGUAGEM
e a LEITURA
é toda sua!"
Jorge Portugal

26 de jul de 2009

Inverno

Êta frio !!! Está frio ...
Fria está a noite e o dia
fria é também a chuva!
Frio é o vento que sopra
Frio é o verbo que sopro

Frio são os livros que leio, não leio.

Rubem Braga, aparece com "O Desaparecido" pincelando sobre o frio.
Frio é o momento, frui meu pensamento: Pensamento quente, como o sangue de gente, como a vida que esvai, como as histórias dos livros, como o escarro que cai. @!!*#/+!.

********************************
O desaparecido - Rubem Braga
********************************

"Tarde fria, e então eu me sinto um daqueles velhos poetas de antigamente que sentiam frio na alma quando a tarde estava fria, e então eu sinto uma saudade muito grande, uma saudade de noivo, e penso em ti devagar, bem devagar, com um bem-querer tão certo e limpo, tão fundo e bom que parece que estou te embalando dentro de mim".

20 de jul de 2009

"Óh meus amigos, não há amigos"

Loucos e santos
Oscar Wilde

"Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila.
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos.
Fico c/ aqueles que fazem de mim louco e santo.
Deles não quero resposta, quero meu avesso.
Que me tragam dúvidas e angústias e aguentem o que há de pior em mim.
Para isso, só sendo louco.
Quero os santos para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças.
Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.
Não quero só o ombro e o colo, quero também a sua maior alegria.
Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto.
Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade.
Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos.
Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua frente de aprendizagem,
mas lutam para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice.
Crianças para que não esqueçam o valor do vento no rosto, e velhos para que nunca tenham pressa.
Tenho amigos para saber quem eu sou.
Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que "normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril."

18 de jul de 2009

Nelson Mandela

"Nosso medo mais profundo
não é o de sermos inadequados.
Nosso medo mais profundo
é que somos poderosos além de qualquer medida.
É a nossa luz, não as nossas trevas,
o que mais nos apavora.
Nós nos perguntamos:

Quem sou eu para ser Brilhante,
Maravilhoso, Talentoso e Fabuloso?
Na realidade, quem é você para não ser?

Você é filho do Universo.

Se fazer pequeno não ajuda o mundo.
Não há iluminação em se encolher,
para que os outros não se sintam inseguros
quando estão perto de você.

Nascemos para manifestar
a glória do Universo que está dentro de nós.
Não está apenas em um de nós: está em todos nós.
E conforme deixamos nossa própria luz brilhar,
inconscientemente damos às outras pessoas
permissão para fazer o mesmo.
E conforme nos libertamos do nosso medo,
nossa presença, automaticamente, libera os outros."

Nelson Mandela

Nelson Rolihlahla Mandela (Qunu, 18 de julho de 1918) é um advogado, ex-líder rebelde e ex-presidente da África do Sul de 1994 a 1999. Principal representante do movimento anti-apartheid, como ativista, sabotador e guerrilheiro. Considerado pela maioria das pessoas um guerreiro em luta pela liberdade, era considerado pelo governo sul-africano um terrorista. Passou a infância na região de Thembu, antes de seguir carreira em Direito. Em 1990 foi-lhe atribuído o Prêmio Lênin da Paz, que foi recebido em 2002.
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Nelson_Mandela

12 de jul de 2009

Barraco (Otávio Segala e Clóvis Itaquy) - Mokambo

Nada de novo, tudo de velho, velho de novo

Já é domingo e não consigo postar nada interessante!!!

Quando quero escrever algo que impressione
as ideias fogem as palavras somem
quando quero escrever algo por inspiração
faltam as letras, falta a coNJunção
quando quero escrever tudo, escrevo nada
Nada de novo, tudo de velho, velho de novo.

... a exceção é que ...

Ontem conheci um Cajón.
Quem diria..., e como poderia ??
uma caixa ter o som da bateria!

6 de jul de 2009

A princesa e o ... foram felizes para sempre

Com o título original “Princess and the Frog”, o filme terá a primeira princesa negra da Disney, e a história se passará no cenário de Nova Orleans, nos anos 1920, chamada a Era do Jazz. Previsão de estréia : Dezembro 2009

Não sou "Tiana", nem me inspiro no Obama, mas depois de passar por Vales de Liberdade, optei por viver meu conto de dados outra vez... A sorte está lançada! É bom voar 'prá longe de casa', assim como também é bom voltar de novo prá casa, o que condeno é nunca ter saido de nenhum lugar.

5 de jul de 2009

Livros

Livros Caetano Veloso

Tropeçavas nos astros desastrada
Quase não tínhamos livros em casa
E a cidade não tinha livraria
Mas os livros que em nossa vida entraram
São como a radiação de um corpo negro
Apontando pra a expansão do Universo
Porque a frase, o conceito, o enredo, o verso
(E, sem dúvida, sobretudo o verso)
É o que pode lançar mundos no mundo.

Tropeçavas nos astros desastrada
Sem saber que a ventura e a desventura
Dessa estrada que vai do nada ao nada
São livros e o luar contra a cultura.

Os livros são objetos transcendentes
Mas podemos amá-los do amor táctil
Que votamos aos maços de cigarro
Domá-los, cultivá-los em aquários,
Em estantes, gaiolas, em fogueiras
Ou lançá-los pra fora das janelas
(Talvez isso nos livre de lançarmo-nos)
Ou ­ o que é muito pior ­ por odiarmo-los
Podemos simplesmente escrever um:



Encher de vãs palavras muitas páginas
E de mais confusão as prateleiras.
Tropeçavas nos astros desastrada
Mas pra mim foste a estrela entre as estrelas


3 de jul de 2009

Mario Quintana

Poema XXXXXXXXX

Quem disse que a poesia é apenas
agreste avena?
A poesia é a eterna Tomada da Bastilha
o eterno quebra-quebra
o enforcar de Judas, executivos e catedráticos em todas
as esquinas


e,
a um ruflar poderoso de asas,
entre cortinas incendiadas,
os anjos do senhor estruprando as mais belas filhas dos
mortais...

Deles, nascem os poetas,
Não todos... Os legítimos
espúrios:
um Rimbaud, um Poe, Um Cruz e Souza...

(Rege-os, misteriosamente, o décimo-terceiro signo do Zodíaco.)
Mário Quintana.