28 de dez de 2008

Pequenas histórias

SINAL

...

_______________________________

COMUNHÃO
Fui criada em lar evangélico, não fiz primeira comunhão, mas tinha uma curiosidade infantil de experimentar a hóstia!! Na primeira oportunidade em que fiquei livre, não vacilei, entrei na fila, fiz cara de santa, coloquei uma mão sobre a outra e num gesto de extrema devoção, botei a língua para o padre e tentei balbuciar ao mesmo tempo: - Eu creio!

_______________________________
NOITE
Era véspera de Natal, eu estava sentada em silêncio em meu apartamento imaginando o som que uma lira faz, então olhei para o vaso de plástico e percebi, que no pequeno vaso brotava mais um "lírio da paz".


________________________
INAUGURAÇÃO
Por sob a ponte do Arroio Abranjo,
Andei..., parei, e me agachei
Estava cansada e tinha tomado água.
________________________

.

Leituras significativas de férias - verão de 2009

Ele nos escondeu e salvou....Laurent nos desejava bom-dia ao acordar, depois saía e passava horas caçando tútsis junto com os que mataram minha família (...). Não entendo como há pessoas capazes de ao mesmo tempo fazer o bem e o mal. " pág. 152. (relato de Jean Paul, um dos sobreviventes do genocídio que devastou Ruanda em 1994)
ILIBAGIZA, Immaculée; ERWIN, Steve; SANT'ANNA, Sonia. Sobrevivi para contar: o poder da fé me salvou de um massacre. Rio de Janeiro: Fontanar, 2008. 223 p.

"e não ignoro que todas as ilhas, mesmo as conhecidas, são desconhecidas enquanto não desembarcamos nelas." pág. 27
"gostar é provavelmente a melhor maneira de ter, ter deve ser a pior maneira de gostar." pág.32
"o sonho é um prestidigitador hábil, muda as proporções das coisas e as suas distâncias" pág.50

SARAMAGO, José; PIZA, Arthur Luiz. O conto da ilha desconhecida. São Paulo: Companhia das Letras, 1998. 62p.
[http://www.releituras.com/jsaramago_conto.asp]



A igreja oferece redenção para todo o sempre
A taberna oferece : satisfação permanente !

"Na verdade, sabemos, graças especialmente a um exemplum concernente a São Luís, que às vezes homens deixam a igreja durante um sermão, em troca de sua grande concorrente, a taberna, que oferece uma tentação permanente". pág. 14


" A usura é um pecado. Por quê? Que maldição atinge essa bolsa que o usurário enche, adora, e da qual não quer se separar mais do que Harpagão* de seu tesouro e que o conduz à morte eterna? Para salvar-se será preciso separar-se da bolsa, ou encontrará, encontrarão para ele, o meio de guardar a bolsa e a vida eterna? Eis o grande combate do usurário entre a riqueza e o Paraíso, o dinheiro e o Inferno". pág.15

"A esperança, e logo a quase certeza para o usurário pronto à contrição final, de ser salvo, de poder obter ao mesmo tempo a bolsa, aqui embaixo, e a vida, a vida eterna no Além..." pág.90

A esperança do purgatório conduz à esperança do paraíso, dupla esperança para os iniciadores do capitalismo, usurários, mercadores de produtos, mercadores do tempo, mercadores do futuro, mercadores de vidas, que fazem avançar uma nova economia, uma nova sociedade no limiar do século XIII, que conduzirá ao
surgimento de uma nova organização econômica do Ocidente - o capitalismo. Este abrirá a possibilidade de salvação para o usurário, garantindo a bolsa na terra, e a vida eterna no céu.

LE GOFF, Jacques. A bolsa e a vida: economia e religião na Idade Média. 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 1989. 112p.

_________________________
Este ano decidi que ao invés de administrar o tempo, administrarei minha vida... atentarei + para os detalhes, os pequenos detalhes. Nas pequenas coisas me regozijarei, porque as grandes já se bastam a si mesmas, por si mesmas, de si mesmas.

27 de dez de 2008

Ayurveda

"Existe apenas uma religião, a religião do amor. Existe apenas uma casta, a casta da humanidade. Existe apenas uma língua, a língua do coração. Existe apenas um deus, ele está dentro de cada um de nós, e todos somos um." Sai Baba

Meu corpo está sempre mudando, apesar de parecer ser o mesmo,
independe para onde vôo, independe para onde vou
Através das minhas referências e das informações que me perpassam
Me transformo no que quero e no que sou, vou...

Vou me transformando, recriando, reinventando.

Meu universo se manisfesta na matéria
a matéria como algo transcendente
ou quem sabe inerente...
Inerente ao Ser, inerente a mim.

Micro\cosmo dentro do macro\cosmo

Tenho tudo o que tenho
Sou tudo o que sou
é uma mágica de começo sem fim.

E assim vou me manifestando
Haja!!!! hehehe

Me manifesto através da comunicação
Utilizando-me do elemento éter
que sopra meu fôlego se tornando em ar
e que do ar se torna fogo
e do fogo se torna água no mar
e desta água que evapora e se condensa
no espaço quimera
se tranforma em terra.

Vibro na minha ilusão
Vibro na minha sólida
...solidão
Vida no vazio da minha dêmencia
Vivo uma determinada frequência.

"A diferença entre a escrita humana e a divina reside no fato de que o número de signos da primeira é limitado enquando o da segunda é infinito: por isso o universo é um texto desprovido de sentido, ilegível até mesmo para os deuses". Otávio Paz

26 de dez de 2008

Zen freud ismo

Na agenda do analista
a responsável harmonia
entre a infelicidade histérica
e a normal

Sem brios ou equilíbrios
prosseguir
tratando o intratável em nós,
o que some e reaparece ali adiante

A cura
cada dia mais presente e mais
distante

Zenfreudismo - Suzana Vargas

Solidão? que nada!

Atriz sou eu no teatro da vida
e nele desempenho incontáveis papéis
Na sombra do meu ser,
procuro minhas máscaras
Embora tente rasgar todos os véus!

Fito-me com curiosidade
e quase com terror
diante da solidariedade solitária
solidão, ilusão, incomunicabilidade...

Enganos com sorrisos
e gestos de bondade.

Meu Deus é diferente,
Diferente do seu
Se sou eu quem me faço
eu crio o meu Deus,
encontrando-me dia a dia
nos desencontros meus
aplaco a solidão.

Aplausos no palco
Vivo a libertação!
Vivo o meu próprio Eu.

Vinícius de Morais

Soneto de fidelidade - Vinicius de Moraes

De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.
Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento
E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.
__________________________

Soneto de separação - Vinícius de Morais

De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
E das mãos espalmadas fez-se o espanto.

De repente da calma fez-se o vento
Que dos olhos desfez a última chama
E da paixão fez-se o pressentimento
E do momento imóvel fez o drama.

De repente, não mais que de repente
Fez-se de triste o que se fez amante
E de sozinho o que se fez contente

Fez-se do amigo próximo o distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente.

24 de dez de 2008

O violino de Rothschild


"Por que é que o homem não pode viver de modo a evitar as perdas e os prejuízos? Por que todo mundo faz sempre precisamente o que não deve fazer? Por que as pessoas, em geral, impedem de viver uma às outras? Que prejuízos extraordinários! Se não existissem o ódio e a malícia, os homens tirariam uns dos outros proveitos enormes.
Iakov saiu de sua isbá e sentou-se na soleira, cerrando o violino contra o coração. Pensando em sua vida passada em vão, tocou, tocou sem saber o quê; entretanto, o que tocava era triste e comovente; e pelas suas faces as lágrimas correram. E quanto mais ele pensava, mais tristemente cantava o violino".
Tchekov. O Violino de Rothschild.
_____________________________________

As pessoas ainda hoje ouvem esta música e sempre que a ouvem exclamam em um torturante êxtase: Vakh!
Chorando e sorrindo, se alegram na tristeza, chorando de alegria! E o violino continuará tocando sempre. Os ouvintes não compreenderão o violino, não saberão o porquê, a música não terá sentido aparente, mas sempre será reconfortante e comovente, porque soará não aos ouvidos, mas ao coração, e o rosto infeliz e esperançoso do nosso irmão, em êxtase, exclamará: Vakh!
_________________Vakh! exclamação de contentamento, em oposição a um outra, de tristeza, muito famosa, dos israelitas russos____________________________

20 de dez de 2008

Provérbios não tão provérbios

Às vezes é melhor ficar quieto e deixar que pensem que você é um idiota do que abrir a boca e não deixar nenhuma dúvida.
Se um homem bate na mesa e grita, está impondo controle. Se uma mulher faz o mesmo, está perdendo o controle.
Que contradição: para desligar o computador clica-se no menu 'iniciar'.

17 de dez de 2008

Ensaio sobre a cegueira - José Saramago

...impossível não reler...
impossível não ver....

Assista um vídeo clicando na cegueira.

Transposição precisa do livro de Saramago, por Fernando Meirelles
Passando por São Paulo, Montevideo e Toronto
é tanto lixo, que eu fico tonto
tanta sujeira e escuridão leitosa, pastosa.

Se olhar, preciso ver!
Deitar meu irmão no ombro.
Se escuro, preciso claro.
enxergar o que somos,
como somos,
Assombro!

Na moral.

Tenho medo de abrir, tenho receio de fechar.

"Se podes olhar vê
Se podes ver, repara".
Livro dos Conselhos

Cinema

Correria...
Que correria!
Corre
ria.

Aulas no sábado,
momentos de êxtase
Encantos no domingo
Festas de segunda a sexta.

é casamento
é testamento
é coquetel
é documento

é churrasco no almoço
e churrasco no jantar

é chá na Pritsch
e com convite

é viagem prá Porto
são amigos chegando
presentes secretos
amigos concretos

é coquetel
é drink
com muito mel

e no meio de tanta
alegre baboseira
hoje não posso perder,
'ensaio sobre a cegueira'.

14 de dez de 2008

Raspagem

Fico pensando em Olenka Semionovna!
Olenka de Kukin, depois de Vassili,
também de Vladimir.

Olenka que não pensava por si
Olenka que repetia
Olenka que sorria.

Há Olenka! Olenka! Olenka!

Olenka que perdera sua vida
Olenka que perdera sua alma
Olenka que tinha pressa
Olenka que não tinha calma.

Há Olenka! Olenka! Olenka!

Há que bom conhecer todos os "Ionovnos"
"Artista incomparável"
Anton Tchekóv

E entre o sonho, a vida e a nostalgia

Conhecer Olenka que não sabia
Olenka que repetia
Olenka com eco
Olenka repeteco

Leia em: http://books.google.com.br/books?id=iqiOejxZKzMC&pg=PA237&lpg=PA237&dq=olenka+and+tchekov&source=web&ots=sDBu7E-ljp&sig=b9EUd38jr786lXvpBYKRdxwJmLg&hl=pt-BR&sa=X&oi=book_result&resnum=1&ct=result

Realismo


Tenho meus anjos e meus demônios!
Fui atacada por pandemônios...
Nas entre linhas escritas e revistas
Seguidamente deixo minhas pistas...

Estou pouco ligando para o profano
para a metade. Será verdade ?
Quero contato, beijo de língua
o tempo urge, a vida mingua...

Que me arrebentem, eu arrebento
o mundo é mau, é sofrimento
e ilusão, não quero mais
dissimulação...afetação, tormento?

Vão se tratar!!!

Quero alegria, que contagia
e dissimula, minha demência

eu quero sempre
eu qero gente
eu quero transparência.

Aprendizagem
conhecimento
sabedoria
inspiração
Quero de tudo,
não quero nada
A sangue suga

13 de dez de 2008

Rio sem fim


Dias docemente atribulados... ... ... ... ... ...
um rio passa e perpassa
preciso reservar espaço agora
para não esquecer de escrever, depois.

"Entre o sono e o sonho
Entre mim e o que em mim
É o quem eu me suponho
Corre um rio sem fim"

Fernando Pessoa, em Cancioneiro

11 de dez de 2008

Espírito

" O verdadeiro e o falso pertencem aos pensamentos determinados que, privados de movimento, valem como essências próprias que permanecem cada uma no seu lugar, isoladas e fixas, sem se comunicar uma com a outra (). Assim como não há um mal, assim também não há um falso. Hegel. A fenomenologia do espírito". "A crueldade é o primeiro sentimento que a natureza nos imprime." M. de Sade

8 de dez de 2008

Piadas da vida real

‘‘Fui abordado por uma aeromoça em inglês. Respondi que ela poderia falar em português, que eu era brasileiro. Um passageiro disse então que eu era ministro. Imediatamente ela perguntou: ‘De qual igreja?’’’

Edson Santos, ministro da Igualdade Racial, citando o próprio exemplo para mostrar como os brasileiros não estão acostumados a ver negros em cargo de chefia .

É o fim ...

Aproveitando o "tema" do último SL&L que não participarei, das discussões que não mais ouvirei, dos convites que não mais farei, das presenças que não mais sentirei, farei este registro. Só me resta desejar a todos muito boa sorte! Sorte na vida! sim, sorte na vida! E a seguir uma postagem do É o fim ... e espero que possa no ano que vem viver um : É o começo...

Poema do fim do ano - Mário Quintana

Lá bem no alto do décimo-segundo andar do Ano
Mora uma louca chamada Esperança:
E quando todas as buzinas fonfonam
quando todos os reco-recos matracam
uando tudo berra quando tudo grita quando tudo apita
A louca tapa os ouvidos

atira-se
e – ó miraculoso vôo!–
acorda, outra vez menina, lá embaixo, na calçada.
O povo aproxima-se, aflito
E o mais velhinho curva-se e pergunta:
– Como é o teu nome, menininha de olhos verdes?
E ela então sorri a todos eles
E lhes diz, bem devagarinho para que não esqueçam
nunca
– O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA...

7 de dez de 2008

Aleijadinho : paixão, glória e suplício

A história do escultor mineiro Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, acompanhando sua vida e formação artística e cultural. O filme mostra o relacionamento com a escrava Helena, os conflitos políticos com o pai, arquiteto português, sua amizade com o inconfidente Cláudio Manoel da Costa e a doença que o deixou deformado, mas não conseguiu impedi-lo de trabalhar.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Aleijadinho

"Este santo que aí vai
com cara de Santarrão
Não é São Jorge nem nada
é o tenente Zé Romão!"

6 de dez de 2008

06 de dezembro de 2008

Descobri que sofro de amnésia!
Não lembro do dia de ontem. Memória recente é o que me resta....E hoje foi um dia que chamaria docemente de:

S I M P L E S M E N T E !


Amanhã que dure e que seja bom, que seja eterno
enquanto dure e que seja eternamente bom.

5 de dez de 2008

05 de dezembro de 2008

Todas as pessoas que passaram por minha vida,
todas as promessas feitas no passado e que foram cumpridas ou esquecidas.
Todas vivem em mim camufladas, organizadas, desamarradas,

fezem parte da minha vida,
fazem parte do meu sangue,
farão parte do meu ser.
Sou uma mistura de tudo isso.
Tem coisas que quero lembrar outras quero para sempre esquecer.
Há duas alternativas: odiar ou amar, ser mais dor ou ser mais prazer.

Lembrar ou esquecer.

Ser ou Não Ser.

"A dor é inevitável; o sofrimento é opcional."(Carlos Drummond de Andrade)

4 de dez de 2008

Notas para uma pedagogia visual bem humorada - Waltercio Caldas 6º Bienal do Mercosul 2007


Notas para uma pedagogia visual bem humorada - Waltercio Caldas 6º Bienal do Mercosul


1. É natural que utilizemos obras de arte par o exercício de nossa desconfiança. Cultivar suspeitas pode nos salvar das verdades;

2. Não se deixe enganar por tentativas de explicação de obras de arte; na maoria dos casos elas são desmentidas pelas obras mesmas;

3. Não confie na autonomia "soberana" das obras de arte, pois elas dependem do desconhecido que as tornou possíveis;

4. Acredite nas dúvidas, especialmente naquelas sugeridas pelas obras: algumas delas são necessárias para a superação de nossas limitações;

5. Procure ver somente o necessário. A quantidade indiscriminada das coisas visíveis pode reduzir em muito a qualidade das experiências;

6. Não espere ver o que esperava ver antes de conhecer. Só as obras de arte de qualidade duvidosa atendem a esta expectativa;

7. Não confie em artistas que parecem querer chamar sua atenção com artimanhas e "técnicas mirabolantes". Estes bajuladores de público estão interessados apenas em mídia;

8. Se um objeto artístico não parece ser arte, não o discrimine automaticamente. Só falsificadores estão preocupados em fazer algo que se "pareça com arte". Artistas, por outro lado, fazem somente o que acreditam que deve ser feito;

9. Considere sobretudo o "teor de evidência" de um objeto. Por mais completa que uma obra de arte possa parecer, ela será sempre insuficiente em relação àquilo que desconhecemos. Se for uma obra prima superará até mesmo o desconhecido;

10. A espontaneidade não é um valor. É uma partida ou uma chegada. A simplicidade ou a complexidade ocorrerão apesar dela.

11. Não pergunte o que os artistas querem dizer com suas obras. Pergunte às obras. Ou encontre a satisfação nos riscos que estimulam sua curiosidade;

12. A transcendência e o sorriso são invenções humanas. Um outro lado do ar é a contribuição dos artistas.

3 de dez de 2008

Lacuna

Meu espírito é altivo
Mas meu pensamento é cativo
Tenho um problema não resolvido!

deserdada
abandonada
não amada?

Minha vida dei prá ti
Minha alma já perdi
Solução, não encontro aí.

dada
abonada
e ama
da

Mas tenho alegria de poder ser
Saber ver, procurar saber
e tentar meus anseios
(escre)(resol)(transcend)ver
d'
na
da

Jamais preencherei o 'que quer que seja', mas nunca mais doarei meu coração. Minha história de amor foi uma sucessão de oportunidades acalentadas e desperdiçadas.

30 de nov de 2008

Prosopagnosia

É uma doença moderna?
é histeria?
É o não olhar de quem não vê?
Não sei ao certo,
mas quando chegar mais perto
susurrarei, ao olhar de quem vê:
Não conheçou Eu !
Nem conheço você.
_________________________________________
_________________________________________
Mais informações acesse: http://www.faceblind.org/

Ariel

Sylvia Plath nasceu em Boston, EUA, em 1932. Teve uma passagem melancólica por Nova York, tentou o suicídio várias vezes, casou em 1956 com o poeta inglês Ted Hughes, foi com ele p\ Cambridge, Inglaterra. Teve 2 filhos. Descasou em 1962, escreveu seus poemas capitais, publicados postumamente no vol. Ariel (1965), sua obra mais importante. Dois anos antes, em 1960, lançara Colossus. Em 11\02\1963, aos 30 anos de idade cometia suicídio inspirando gás na cozinha de sua residência.

ARIEL


Estancamento no escuro
E então o fluir azul e insubstancial
De montanha e distância.

Leoa do Senhor como nos unimos
Eixo de calcanhares e joelhos!... O sulco

Afunda e passa, irmão
Do arco tenso
Do pescoço que não consigo dobrar.

Sementes

De olhos negros lançam escuros
Anzóis...

Negro, doce sangue na boca,
Sombra,
Um outro vôo

Me arrasta pelo ar...

Coxas, pêlos;
Escamas e calcanhares.
Branca
Godiva, descasco
Mãos mortas, asperezas mortas.

E então
Ondulo como trigo, um brilho de mares.
O grito da criança

Escorre pela parede.
E eu
Sou a flexa,

O orvalho que voa,

Suicida, unido com o impulso
Dentro do olho

Vermelho, caldeirão da manhã.

28 de nov de 2008

O idiota

Hoje são 28 de novembro de 2008. Nasci 28 de fevereiro de 1971. Dostoiévski morreu em 28 de janeiro de 1881.
Mas estou aqui não para falar do dia 28, mas para falar de vida nos dias 28 ou em outro dia qualquer. O tema da vida atravessa o romance 'O idiota'. Muito embora, a vida esteja em constante contraposição com a morte.

"Irmão! Não me abati e nem caí em desânimo. A vida é vida em qualquer lugar, a vida está em nós mesmos e não fora. Ao meu lado haverá pessoas, e ser homem entre elas e assim permanecer para sempre, quaisquer que sejam os infortúnios, sem perder a coragem nem cair em desânimo - eis em que consiste a vida, em que consiste o seu objetivo. (...) Quando olho para o passado e compreendo quanto tempo perdi em vão, quanto perdi com equívocos, com erros, na ociosidade, na inabilidade para viver, como deixei de apreciá-lo, quantas vezes pequei contra meu coração e minha alma, meu coração se põe a sangrar. A vida é uma dádiva, a vida é uma felicidade, cada minuto poderia ser uma eternidade de felicidade."

Carta escrita a Mikhail.


O acaso do dia 28 - DIA DO QUERER

DIA 28 = DIA DO QUERER 'É muito contraditório, pois nasceu com o dom do querer, mas vive se queixando. É naturalmente tímido, infeliz e até de natureza doentia. Livre dessa face doentia poderá se impor a tudo e a todos, pelo seu admirável senso diplomático e espírito de justiça e compreensão. Será mais bem sucedido como chefe ou em atividades independentes, pois não gosta de ser mandado nem criticado. Como tem grande vitalidade e energia física, pode se dedicar a várias atividades ao mesmo tempo sem se cansar. Como o 29, tem muitos começos e poucos fins, e por isso deixa de aproveitar as oportunidades de se tornar famoso e rico. Tem tendência a aumentar seus aborrecimentos, embora não aparente e nem concorde com isso e, dessa maneira, se sujeita a muitos desapontamentos. É líder natural, mas falta-lhe espírito competitivo e força de vontade para lutar por seus ideais. Para superar todos os pontos negativos, deve desenvolver otimismo, autoconfiança e perseverança de propósitos. Estudar a natureza humana, procurando compreendê-la, deixar de ser egoísta e se elevar sempre, seja no plano material como intelectual, são a base de sustentação para que atinja o sucesso e a felicidade tão almejadas. '

27 de nov de 2008

Os enciclopedistas franceses rolam nos túmulos


Os enciclopedistas franceses rolam nos túmulos
Ana Elisa Ribeiro

Enciclopédia é uma palavra que vem do grego. Trata-se de alguma formulação assim como "conhecimento circular ou geral". Quem diz isso é um outro livrão, também de consulta, chamado dicionário. Ambos são resultado de alta tecnologia. O empolgado filósofo Pierre Lévy diria que são, de alguma forma .. leia texto em
http://www.digestivocultural.com/colunistas/coluna.asp?codigo=2251

"O cachorrinho riu" ou bobagens pra quem não quer virar pó

Sou uma fdp* mesmo! Blábláblá e pouca ação, muito discurso e pouco comprometimento, muito blábláblá. Ao invés de estar na praça empunhando bandeiras vermelhas ou amarelas, ao invés de estar sacolejando dentro de um ônibus até POA, até o palácio, até sabe lá Deus onde. Ao invés de estar ADIANTANDO minhas horas para tirar folgas....estou aqui, calmamente, teclando, estou aqui silenciosamente lendo, estou aqui calmamente me divertindo, estou aqui pacientemente tentando ser feliz, me envolvendo com coisas e coisas para pensar, com coisas e coisas para não pensar, com coisas e coisas para conseguir suportar a vida.
Acabo de ler aos trancos e barrancos o livro "Pergunte ao pó", de John Fante. Fizeram reserva e tenho que devolvê-lo...droga. Mas ao menos me obriguei a lê-lo. Tenho mil e uma leituras feitas, pelo menos mil tenho que voltar a reler, porque coisas ficaram perdidas no caminho.
Sempre me identifico com algum personagem, desta vez foi com Camila, assim como aconteceu com ela, tudo um dia, poderá me acontecer ao acaso da noite, ao acaso do dia. Entretanto algo mais forte sobreviverá a mim, e esconderá os segredos, esconderá os desejos, esconderá as vontades. E o vento minuano soprará novamente em um inverno qualquer, indiferente ao tempo, indiferente ao lugar, indiferente ao acaso, indiferente a mim mesma, indiferente a tudo e a todos.


"Não lembro bem. Talvez uma semana, talvez duas. Sabia que ela ia voltar. Não fiquei esperando. Vivi minha vida. Escrevi minhas páginas. Li uns livros. Estava tranquilo: ela ia voltar. Seria de noite. Nunca pensei nela como uma coisa a ser vista à luz do dia. Das vezes que a vi, nenhuma tinha sido de dia. Fiquei à espera dela como quem espera a lua."
FANTE, John. Pergunte ao pó. 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 1984. 163 p. (Circo de letras ; 13)p. 127

______________________
fdp* filha da paciência. A nota esclarece o verdadeiro sentido, para principalmente aquelas pessoas que riram, maliciaram ou escandalizaram-se, com sigla que poderia ter duplo sentido. Sou uma ex-crente e da minha boca 'santíssima' nunca saiu palavra torpe.
_______________________________________________________________________________

Inspirada nas personsagens Vera e Camila que adentraram no mais íntimo de Arturo Bandini, que " não é carne, nem peixe nem flor que se cheire", escrevi o que segue e não tem título de Maternidade, nem título adequado.

Um dia vou entrar no teu quarto
e desvendar teus segredos
Um dia vou amaciar tua cama
e te cobrir de beijos
envolver-me em teu mistério
e ouvi-lo dizer que me ama

Um dia lamberei o teu cheiro profundo
entrarei no teu ser e esquecerei este mundo
Um dia estarei ao teu lado como eterno namorado

Morderei tua boca com afeto
e dentro de mim pulsará um feto.



26 de nov de 2008

Mapa interativo com dados de 192 países - IBGE

http://www.ibge.gov.br/paisesat/

O mapa-múndi interativo apresenta informações demográficas, econômicas e geográficas de 192 países reconhecidos pela ONU.
A interface inicial de Países@ é um mapa do mundo onde o usuário pode navegar, clicando sobre o país escolhido para que surja na tela a "síntese", com informações como localização, nome da capital, extensão territorial, PIB, idioma, população e moeda corrente. No mesmo quadro também há um breve histórico político-administrativo, um mapa político, a reprodução da bandeira nacional, fotos e um link para o Google Maps, onde o usuário tem acesso a visão do relevo através de imagens de satélite. Além da síntese, o menu no alto da página de Países@ dá acesso a outros seis temas: população, indicadores sociais, economia, redes (telefonia e internet), meio ambiente e objetivos do milênio. Todas as informações são da ONU e de outras fontes oficiais. Há dados sobre a população residente em áreas urbanas, densidade demográfica, natalidade e mortalidade. O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), a desnutrição, o saneamento, a educação e a incidência do vírus da aids são outros temas abordados. Os indicadores também podem ser acessados na forma de tabelas.

25 de nov de 2008

Contos russos - os clássicos (sinos russos)

"Um funcionário encarou o outro fixamente. No olhar de cada um brilhou uma centelha má...."

Belo conto sobre dois funcionários públicos que por serem estúpidos se viram transportados para uma ilha deserta, como por um tapete mágico. Ao procurar explorar a ilha, não sabiam definir onde ficava o leste e onde ficava o oeste, onde era o norte e onde ficava o sul. Ao sentirem fome, não sabiam colher os frutos, nem conseguiam preparar os alimentos, porque estes na forma original voavam, nadavam ou cresciam no alto das árvores. O que os funcionários públicos sabiam? háááá conheciam perfeitamente as seguintes palavras: "Com os protestos da mais alta estima e consideração, sou, de V. Exa., humilde servo." Após uma terrível briga em que tentaram comer um ao outro, à vista do sangue fê-los recuperarem a razão. Decidiram pois, entreterem-se mutuamente para passar o tempo, evitando assim assassínios e morte.
E passaram a discutir questões como: Porque o sol se ergue e depois se põe e não o contrário? Porque primeiro trabalhamos, depois voltamos para casa e por último dormimos? Após intermináveis discussões que sempre terminavam lembrando-lhes comida, decidiram arranjar um mujique. Mesmo em uma ilha, sempre há algum mujique que escapou em algum momento do trabalho. Encontraram o tal mujique amarraram-no em uma árvore para que não fugisse e não tiveram mais problemas. Não gastavam dinheiro, estavam gordos, bem alimentados e felizes. Após muito tempo, ficaram aborrecidos e importunaram o mujique para que este construísse um barco capaz de transportá-los novamente à sua terra... e o que será que aconteceu????

Schedrin, Nikolai. Um mujique alimenta dois funcionários públicos.
*******************************************************************
Não sei se a maioria de vocês sabem, mas moro em um apartamento muito pequeno, cabe eu, minha cama, meu ropeiro, alguns poucos móveis na cozinha e meu note book, que preenche meu mundo com amigos presentes do passado e, é claro, todas as dualidades do meu SER, mudando todo o tempo, amando, sofrendo, sorrindo, chorando, e até rezando. Pois nesta noite, recebi multidões de russos. Russos empoeirados que vinham das ruas sujas de São Petersburgo, russos titiritando de frio que desembarcavam de carroças, recebi velhos e moços, crianças, mulheres, cocheiros, mujiques, funcionários públicos e até vultos fantasmagóricos!!! Por vários momentos meu espírito esteve contraído por espreitar a maldade presente nos sorrisos de afeto, nos gritos do "Sabe com quem está falando? Na falta de compaixão. Um fantasma porém procura a justiça, procura o direito, procura...procura...procura... São quase 6 horas da manhã, as multidões estão indo embora. Ficam os resquícios das histórias que povoaram a noite e encheram o Ap. Em breve nascerá mais um novo dia, os pássaros já estão começando a cantar. Está na hora de dormir. É bom dormir durante o dia, os desejos e esperanças vão embora e os sonhos, no meio de tanto dia ficam sem espaços e começam a rarear.
*******************************************************************
Akaki Akakiévitch
-Deixem-me! Não vêem que me estão magoando?
Nessas penetrantes palavras ressoava mesmo o eco destas outras:
"Eu sou teu irmão!"

"O infortunado jovem cobria então o rosto, e mais de uma vez, durante sua existência, haveria de estremecer ao ver o quanto o homem carece de humanidade, ao constatar o quão grosseira é a ferocidade que se encapa sob as maneiras mais polidas - ó meu Deus! - naqueles que o mundo considera pessoas honestas e de bem..." p.53

Não é possível escrutar a alma humana em todos os seus refolhos e advinhar tudo o que se lhe vai no íntimo. p.64

"Onde aquiriu essa arrogância? Sabe com quem está falando? Compreende na presença de quem se acha?"

Oras, oras, oras....esta é apenas uma obra de ficção, qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência.

"Todos nós descendemos de 'o capote'. Dostoiévski


Gogol, Nikolai. O capote
*******************************************************************
Leia o conto na íntegra :
http://www.ufrgs.br/proin/versao_2/capote/index.html
****************************************************

"...Durante muitos anos estivemos perto dele e não o conhecemos direito, mas um instante só foi suficiente para vermos tudo claro: nós o tomamos por um tolo, mas ele bem poderia ser um justo."
Leskov, Nikolai. Um tolo

****************************************************
'Contos russos : os clássicos', uma semana depois de ter em minhas mãos o livro, dois dias depois de ter passado uma noite russa, procuro e encontro este acesso, esta disponibilidade, este link:
http://books.google.com.br/books?id=-wuixXSSOwYC&pg=PA130&lpg=PA130&dq=dois+pequenos+mujiques++nikolai+schedrin&source=bl&ots=jeZuReGlJD&sig=p8PpNovG3eNUQMmYpaSEG85r-eA&hl=pt-BR&sa=X&oi=book_result&resnum=1&ct=result#PPA5,M1

Descentralização egocêntrica e etnocêntrica

A filosofia depende da democracia,
assim como a democracia depende da filosofia
ambas nasceram no mesmo tempo
introduzindo inovações profundas
sob o ponto de vista de quem vê
rompendo barreiras
ultrapassando estigmas
acenando sempre e sempre
mudanças de paradigmas

"Somos modernos, para nós, não há um mundo intelegível que nos forneça idéias prontas para o uso, de modo que só nos resta a opção de inventar verdades práticas. Além disso, como não acreditamos na possibilidade real de se ter algum tipo de intuição moral dessas verdades práticas, não podemos ter a esperança de descobri-las dentro de nós mesmos; temos de encontrá-las por meio de procedimentos de argumentação que nos obrigam a adotar o ponto de vista do outro e ocasionam assim uma implementação mais ou menos eficaz do IMPERATIVO CATEGÓRICO." (o grifo é meu, Nita) HABERMAS, Jürgen. A ética da discussão e a questão da verdade. São Paulo: Martins Fontes, 2004. 69 p.

Existe... só um imperativo categórico, que é este: Aja apenas segundo a máxima que você gostaria de ver transformada em lei universal." Immanuel Kant, A Metafísica da Moral (1797)

Imperativo, porque é um dever moral. Categórico, porque atinge a todos, sem exceção. Uauuuuhhhh!

23 de nov de 2008

Tractatus * Linguagem

'1. O mundo é tudo que ocorre.
2. O que ocorre, o fato, é o subsistir dos estados de coisas.
3. O pensamento é a figuração lógica dos fatos.
4. O pensamento é a proposição significativa.
5. A proposição é uma função de verdade das proposições elementares (a proposição elementar é uma função de verdade de si mesma).
6. A forma geral da função de verdade é: %¨(&*&#@$(+"!herskkk
7. O que não se pode falar, deve-se calar.'

"A lógica preenche o mundo; os limites do mundo são também seus limites (...). Não podemos pensar o que não podemos pensar, por isso também não podemos dizer o que não podemos pensar."

Meu 'Eu' que pensa, não é deste mundo,
e como tal, não há outro igual,
ele está pouco acima do limite de tudo,
entre o fio da navalha que separa, o bem do mal.
Nita

"O que pode ser dito, o pode ser claramente, mas o que não se pode falar deve-se calar."

"Aquilo que se sabe, quando ninguém nos interroga, mas que não se sabe, quando devemos explicar, é algo sobre o que se deve refletir."

ZILLES, Urbano. O racional e o místico em Wittgenstein. 2. ed Porto Alegre: EDIPUCRS, 1994. 94p.

Morte em Veneza

Ontem, experiência "Segredo" tranquilex e never more. Hoje assisto 3 filmes: "Estrela solitária" que não me diz muito, "13 dias que abalaram o mundo", que pouco me abalou e "Morte em Veneza!" que tremendamente me excitou e meu espírito saltou HauehuaHheua!!!!
____________ *** ____________
"A abertura pela qual escorre a areia é tão pequena que, a primeira vista, parece que o nível na parte superior nunca se altera. Aos nossos olhos, parece que a areia escoa apenas...apenas no final. E até que isso aconteça não vale a pena pensar a respeito....Até o último instante quando não há mais tempo...Quando não resta mais tempo para pensar a respeito.
____________ *** ____________
A beleza nasce espontaneamente...preexiste a nossa presunção de artista. A realidade apenas nos distrai e degrada. A criação da beleza e da pureza é um ato espiritual. Não é possível alcançar o espírito através dos sentidos. É somente através do absoluto controle dos sentidos que se pode algum dia, alcançar sabedoria, verdade e dignidade humana.
Sabedoria? Dignidade humana? Para que servem?
O gênio é uma dádiva divina. Não! Uma aflição divina. Uma chama breve e pecaminosa de dons naturais. O mal é necessário, é o alimento da genialidade."
____________ *** ____________
A arte é a fonte mais elevada de educação e o artista tem que ser um exemplo - modelo de equilíbrio e força. Ele não pode ser ambíguo.
+ a arte é ambígua!
E a música é a mais ambígua de todas as artes. É a ambiguidade transformada em ciência, é uma série completa de combinações matemáticas insuspeitadas e inesgotáveis. Um paraíso de duplos sentidos, com os quais você, mais do que ninguém diverte-se ruidosa e confortavelmente.
____________ *** ____________
Isso não é vergonha, é medo. A vergonha é uma angústia espiritual à qual você está imune, porque você é imune ao sentimento. Você é um homem que se esquiva, que se desagrada, que mantém distâncias. Teme o contato direto e sincero com o que quer que seja! Devido aos seus rígidos padrõs morais...quer que seu comportamento seja tão perfeito quanto sua música! Cada escorregão é uma catástrofe, resulta em irreparável contaminação! Estar em dívida com seus próprios sentidos por uma condição irremediavelmente corrompida e doentia.
____________ *** ____________
Pureza de forma! Perfeição! A abstração dos sentidos!
Tudo se foi! Nada restou ! Nada !
A sua música nasceu morta, e você está desmascarado.
____________ *** ____________
A mediocridade é o que existe na base daquilo que agrada a todos."

http://br.youtube.com/watch?v=n2UYct17bFw Eis uma coisa que preciso aprender, colocar vídeo com imagens...

São algumas frases tiradas do filme para reflexão... Conde Luchino Visconti di Machone, herdeiro do duque de Milão (Visconti, Fellini e Antonioni) + Thomas Mann em, "Morte em Veneza."

22 de nov de 2008

O Segredo

"...para terminar. Talvez eu apenas quisesse confiar ou confirmar meu gosto pela literatura, mais precisamente, pela escrita literária. Não que eu ame a literatura em geral nem que a prefira ao que quer que seja, por exemplo, como pensam muitas vezes aqueles que não discernem por fim nem uma nem outra com relação à filosofia. Não que eu queira reduzir tudo a ela, e menos ainda a filosofia. No fundo, passo sem a literatura, de fato, com bastante facilidade. Se precisasse me retirar para uma ilha, no fundo seriam os livros de história, de memórias que provavelmente levaria comigo e que leria à minha maneira, talvez para deles fazer literatura, a menos que fosse o inverso, e isso seria verdadeiro a respeito dos outros livros (arte, filosofia, religião, ciências humanas ou naturais, direito etc.). Entretanto, se, sem amar a literatura em geral e por ela mesma, amo alguam coisa nela que não se reduz de modo algum a uma qualidade estética, a uma fonte de fruição formal, isso seria em lugar do segredo. Em lugar de um segredo absoluto. Aí estaria a paixão. Não há paixão sem segredo, este segredo, mas não há segredo sem paixão. Em lugar do segredo: aí, entretanto, onde tudo está dito e o resto nada mais é senão o resto, nem mesmo literatura......A solidão, o outro nome do segredo do qual o simulacro ainda presta testemunho, não é nem da consciência, nem do sujeito, nem do Dasein, nem mesmo do Dasein em seu poder-ser autêntico, cujo testemunho ou atestatado Heideger analisa. Ela os torna possíveis, mas o que ela torna possível não põe fim ao segredo. Este não se deixa levar nem encobrir pela relação com o outro, pelo estar-com ou por alguma forma de 'laço social'. Embora os torne possíveis, ele não responde a isso, ele é o que não responde. Nenhuma responsiveness. Será isso chamado a morte? A morte dada? A morte recebida? Não vejo razão alguma para não chamar isso a vida, a existência, o rastro. E não o contrário.....Eis que resta, segundo Derrida, a solidão absoluta de uma paixão sem martírio.

O segredo permanece inteiro, minha cortesia, intacta, minha reserva, intocada, meu pudor, mais ciumento do que nunca, respondo sem responder (ao convite, a meu nome, à palavra ou ao apelo que diz "eu"), vocês nunca saberão se falo de mim, este eu aqui, ou de um outro eu, de um eu qualquer ou do eu em geral, de você ou de vocês, deles, delas ou de nós, se esses enunciados são concernentes à filosofia, à literatura, à história, ao direito ou a qualquer outra instituição identificável. Não que essas instituições sejam alguma vez assimiláveis (isso foi bastante dito e quem poderia contradizê-lo), mas as distinções às quais se prestam somente se tornam rigorosas e confiáveis, estatutárias e estabilizáveis (ao longo de uma história enorme, com certeza) a fim de dominar, ordenar, fazer parar esta turbulência, a fim de poder decidir, a fim de poder em suma. É disso, é para isso que a literatura (entre outras coisas) é 'exemplar': ela é, diz, faz sempre outra coisa, uma coisa diferente dela mesma, ela mesma que, aliás, é apenas uma coisa diferente dela mesma. Por exemplo ou por excelência: filosofia. DERRIDA, Jacques. Paixões. Campinas: Papirus, 1996. 62p.

21 de nov de 2008

Ilusão ou Renascimento-espumasaoventoElzaSoares-

Minha vida virou novela, ou melhor virou um filme,
ou melhor virou 'um eterno sonhar'...
do qual espero, o mais cedo possível acordar!
Impassível
vestido de poeta
invade minha tela
e não percebendo,
na sua distração
toca minha vida
massacrando meu coração.
Mas meu espírito está na espreita,
observando, ensinando, contagiando
ora sinto-o, ora choro, e quase não mais oro!
Espero que numa dessas, sem eu mesma perceber
Meu espírito possa evoluir e da prostração me re-erguer.

20 de nov de 2008

20 de novembro : Consciência Negra

Quando dois corpos se unem, e duas mãos se juntam...refletem no chão a sombra da mesma cor.
O dia 20 de novembro é uma data construída a partir da visão do oprimido, a partir da visão da maioria, a partir da visão dos movimentos sociais que 'reverenciam' a data como referência não da data de um negro que lutou pela liberdade e democracia, mas de todos os brasileiros e todas as pessoas que lutam contra a opressão, que lutam contra a escravidão, que lutam pela igualdade, que lutam acima de tudo pela liberdade. Zumbi representa uma consciência de classe social unida pelos ideias de socialismo e liberdade individual
E.... onde fica o dia 13 de maio????
Oras, o dia 13 de maio, foi o marco de assinatura da Lei Áurea! Famosa Lei de apenas 2 artigos:
"É declarada extinta desde a data desta lei a escravidão no Brasil" e ...
"Revogam-se as disposições em contrário."
E... o que acontece no dia 14???
Digníssima princesa, digníssimo rei
negros sem trabalho
negros sem casa
negros sem terras
negros sem escolarização
negros sem leis.

Se a legislação antes era omissa para a população negra, agora começou a atuar, contra ela.
O governo criou um imposto para os negros que quisessem comprar terras (Lei das Terras, de 1850. Esta lei determinava que qualquer terreno só podia ser adquirido por meio de compra), proibiu fazendeiros de pagar salários a trabalhadores negros e impediu que negros frequentassem escolas.
Sem ter como adquirir terras, trabalhar e estudar, a negrada ficava na rua, onde era presa por vadiagem - crime que incluía jogar capoeira e sambar
eram maltrados
agora são estigmatizados.

Idéias racistas de 'branqueamento' começam a pipocar no país e os negros antes discriminados, agora são rechaçados.
Ao longo do ano irei aperfeiçoar este tópico, torná-lo quase perfeito! Estou 'largando' ideias soltas aqui, por favor não leiam.

Cotas nas Universidades
Feriado no dia 20 de novembro
Aplicabilidade da lei 10.639 procurando a interdisciplinariedade
A Lei 10.639\03 inclui no currículo escolar o ensino da disciplina de História e Cultura Afro-Brasileira. A lei 11.645\08, mantém todos os dispositivos da lei anterior, mas acrescenta a obrigatoriedade da temática indígena no currículo.

Mas...e o que aconteceu depois do dia 20????
O líder dos Palmares Zumbi, foi assassinado.

A educação deve combater as formas de preconceito, que existem na socidade, especialmente o racismo, que está inserido sutilmente nas relações sociais.

Trabalhar temas como música, poesia, entrevistas, gráficos, arte, cultura, religião, história, culinária, literatura, dança. Problematizando o que sabemos e buscando o que queremos saber.
__________________________________________________
"A Cultura Negra em sala de aula: Erros & Acertos

Abordar a história dos negros a partir da escravidão.
Aprofundar-se nas causas e consequencias da dispersão dos africanos pelo mundo e abordar a história da África antes da escravidão.
Apresentar o continente africano cheio de estereótipos, com o exotismo dos animais selvagens, a miséria e doenças, como a AIDS.
Enfocar as contribuições dos africanos para o desenvolvimento da humanidade e as figuras ilustres que se destacaram nas lutas em favor do povo negro.
Pensar que o trabalho sobre a questão racial deve ser feito somente por professores negros para alunos negros.
A questão racial é assunto de todos e deve ser conduzida para a redução das relações entre descendentes de africanos, de europeus e de outros povos.
Acreditar no mito da democracia racial.
Reconhecer a existência do racismo no Brasil e a necessidade de valorização e respeito aos negros e à cultura africana".
__________________________________________________

-Março-
Para ouvir e comentar...
Canto das três raças (Clara Nunes)
Regresso .
Haiti (Caetano Veloso e Gilberto Gil)


Para ouvir e deleitar...
Ladysmith Black Mambazo perform Homeless

Para ouvir e aprender:
Sarah Vogan -
Manu Dibango - Camarões
Salif Keita - Malí
Césaria Évora - Cabo Verde
Myriam Makeba - África do Sul (1932-2008)


1-Conceitue raça.
2-Identifique as raças na música? Índio, Negro
3-Quem canta de dor? Índio, Negro, Inconfidente, Trabalhador
4-Devido a escassez de mulheres brancas, com quem o colonizador casava?Negras e índias causando a miscigenação.
5- Livre

Hip-Hop
Samba

Personalidade em destaque:

Políticos, Músicos, Escritores, Poetas:
Nelson Mandela
André Pinto Rebouças - engenheiro
Rodrigues Alves 1902 – presidente afro descendente
Benjamim de Oliveira palhaço negro – cria o teatro popular brasileiro
Chiquinha Gonzaga – compositora
Paulino Sacramento – compositor e regente
Francisco Guimarães – jornalista pioneiro da crônica carnavalesca
Zeca Patrocínio- pioneiro do cinema brasileiro
Hemetério dos Santos – autor da primeira gramática da língua portuguesa
Pixinguinha
João da Cruz e Souza - escritor
Grande Otelo - ator
Gilberto Gil - músico
Gonçalves Dias
Lecy Brandão
Milton Gonçalves
Olavo Bilac
Tobias Barreto
Zezé Motta
Zumbi

Artistas:
Negros pintores: Arthur Timótheo, Benedito José de Andrade, Benedito José Tobias, Emmanuel Zamor, Estevão Silva, Firmino Monteiro, Horácio Hora, João Timótheo, Rafael Pinto Bandeira, Wilson Tiberio.


O juiz Thurgood Marshall se torna o primeiro integrante negro da Suprema corte.
Fannie Lou Hamer (born Fannie Lou Townsend on October 6, 1917March 14, 1977) was a American voting rights activist and civil rights leader. Lutou pelos direitos civis dos negros.
Bill Cosby é pouco conhecido no Brasil mas é um dos mais bem sucedidos comediantes americanos, principalmente na televisão, onde durante vários anos fez o papel de um médico negro afluente.

-Abril-

Trabalhar localização do Continente Africano, com destaques para as curiosidades
Fechamento com imagens ***África de A á Z***

Trabalhar a definição de conceitos: Raça/Etnia e a Ideologia do branqueamento.
Etnia como expressão de unidade cultura
Raça: fenótipos (biológicos) e estereótipos de marca, cor da pele (político)
Ideologia do branqueamento
-Maio-
Trabalhar de forma crítica a "Abolição da Escravatura."
Trabalhar personalidades negras que se destacaram na política, economia, cultura, educação, etc. e alguns projetos.
Cotas
Senador Paulo Paim - Estatuto da Igualdade Racial.
http://www.senado.gov.br/paulopaim/
http://www.senado.gov.br/paulopaim/pages/projetos/Projetos/PLS/PLS%20Nº%20213%20de%202003%20-%20Estatuto%20da%20Igualdade%20Racial%20-Origin.pdf
-Junho-
Assistir filmes que tratem diferentes abordagens sobre a figura do negro na sociedade.

Malcon-X
Ali (Mohamed Ali)
Prova de fogo
Quase deuses
Amistad
Quilombo
Sarafina
Um grito de liberdade
Um sonho de liberdade
Advinhe quem vem para jantar
A encruzilhada
A hora do show
Mandela luta pela liberdade
Madame Satã
A cor púrpura
O poder de um jovem
A negação do Brasil
Distraída para morte
Hotel Ruanda
Abril Sangrento
Conduzindo Miss Daisy
Mississipi em chamas
O poder de um jovem
No balanço do amor
Narciso rap
Vídeos no you tube:
Documentário Malcolm X - Por qualquer meio necessário
http://br.youtube.com/watch?v=2x8KgPf8Pq0
Pride: orgulho de uma nação

-Julho-
Cultura como resistência: Quilombos, Religiosidade, Capoeira, Samba, Hip-Hop.
Trabalho orientado sobre discriminação e preconceito a partir da leitura de jornais, e imagens.
-Agosto-
Trabalho com partes de textos de autores negros. A idéia é destacar 1 parte do livro que me chamou a atenção, ler e solicitar á turma que retrate em um desenho, após se o livro tiver sido transformado em filme, mostrar como o diretor do filme transformou o mesmo trecho em imagens. Contextualizar o autor, sua vida e sua época.
Alguns escritores:
Machado de Assis: O caso da vara
Carolina Maria de Jesus
Raul Bopp: Urucungo
Jorge de Lima: Poemas negros
Bernardo Guimarães: A escrava Isaura
Isaias Caminha: O bom crioulo
José de Alencar: O demonio familiar
Xavier Marques: O feiticeiro
Jorge Amado: Jubiabá e Balduíno
Graça Aranha: Viagem Maravilhosa
Gregório de Matos: A uma mulata chamada Córdula

-Setembro-
Poesia negra.
-Outubro-
Destacar aspectos da cultura negra que estão inseridos em nosso cotidiano e organizar um mural.
-Novembro-
Semana afro, já inserida no contexto escolar. Culminando com uma Kizomba (no bantu significa festa ou confraternização)

Inter disciplinas
ou Entre áreas
Transdisciplinaridade

Português - estudar palavras e termos de origem africana que influenciaram e fazem parte da Língua Portuguesa. Estudar conjuntamente poetas, escritores, compositores de origem africana ou que tratem temas sobre o assunto.
Ciências - estudar aspectos da alimentação da cultura africana incorporados à cultura brasileira.
Educação Física - danças, capoeira e ritmo de origem afro. Estudos sobre a origem dos jogos e danças afro.
Educação Artística - conhecer artistas, escultores, pintores, músicos negros ou afro-descendentes. Trabalhar máscaras, pintura, etc.
Matemática - pesquisar duração das viagens, quantidade de africanos existens na África e quantidade de africanos vindos para o Brasil, estatística da população afro no Brasil. Renda per capita dos negros no Brasil ou dos povos africanos em relação ao Brasil.
História - estudar história da África em seus aspectos, sociais, culturais, econômicos e políticos antes da escravização. Destacar as figuras importantes na história. Apontar os mãovimentos de resistência à escravidão: Quilombo, Canudos, Chibata, Malês.
Geografia - cartografia
Inglês - hip h op, hap, blues, regae, brack.

Leis Jim Crow : http://pt.wikipedia.org/wiki/Leis_de_Jim_Crow
A lei Jim Crow impunha a segregação de negros em locais públicos.

Rosaparks
Rosaparks museum




Zumbi dos Palmares
O quilombo dos Palmares (localizado na atual região de União dos Palmares, Alagoas) era uma comunidade auto-sustentável, um reino (ou república na visão de alguns) formado por escravos negros que haviam escapado das fazendas brasileiras. Ele ocupava uma área próxima ao tamanho de Portugal e situava-se onde era o interior da Bahia, hoje estado de Alagoas. Naquele momento sua população alcançava por volta de trinta mil pessoas.
Zumbi nasceu livre em Palmares, Pernambuco, no ano de 1655, mas foi capturado e entregue a um missionário português quando tinha aproximadamente seis anos. Batizado “Francisco”, Zumbi recebeu os sacramentos, aprendeu português e latim, e ajudava diariamente na celebração da missa. Apesar das tentativas de torná-lo “civilizado”, Zumbi escapou em 1670 e, com quinze anos, retornou ao seu local de origem. Zumbi se tornou conhecido pela sua destreza e astúcia na luta e já era um estrategista militar respeitável quando chegou aos vinte e poucos anos.
Por volta de 1678, o governador da Capitania de Pernambuco cansado do longo conflito com o quilombo de Palmares, se aproximou do líder de Palmares, Ganga Zumba, com uma oferta de paz. Foi oferecida a liberdade para todos os escravos fugidos se o quilombo se submetesse à autoridade da Coroa Portuguesa; a proposta foi aceita. Mas Zumbi olhava os portugueses com desconfiança. Ele se recusou a aceitar a liberdade para as pessoas do quilombo enquanto outros negros eram escravizados. Ele rejeitou a proposta do governador e desafiou a liderança de Ganga Zumba. Prometendo continuar a resistência contra a opressão portuguesa, Zumbi torna-se o novo líder do quilombo de Palmares.
Quinze anos após Zumbi ter assumido a liderança, o bandeirante paulista Domingos Jorge Velho foi chamado para organizar a invasão do quilombo. Em 6 de fevereiro de 1694 a capital de Palmares, Macaco, foi destruída e Zumbi ferido.
Apesar de ter sobrevivido, foi traído por Antonio Soares.
Zumbi é surpreendido pelo capitão Furtado de Mendonça em seu reduto (talvez a Serra Dois Irmãos).
Apunhalado, resiste, mas é morto com 20 guerreiros quase dois anos após a batalha, em 20 de novembro de 1695.
Teve a cabeça cortada, salgada e levada, com o pênis dentro da boca ao governador Melo e Castro. Em Recife, a cabeça foi exposta em praça pública, visando desmentir a crença da população sobre a lenda da imortalidade de Zumbi.
Em 14 de março de 1696 o governador de Pernambuco Caetano de Melo e Castro escreveu ao Rei: “Determinei que pusessem sua cabeça em um poste no lugar mais público desta praça, para satisfazer os ofendidos e justamente queixosos e atemorizar os negros que supersticiosamente julgavam Zumbi um imortal, para que entendessem que esta empresa acabava de todo com os Palmares”.
Zumbi é hoje, para a população brasileira, um símbolo de resistência. Em 1995, a data de sua morte foi adotada como o dia da Consciência Negra.É também um dos nomes mais importantes da Capoeira.
Fonte:
Wikipédia.
Para Rubens Alves, a função da educação é erotizar a inteligência para que ela tenha ereções e acorde da sua letargia.
Sugestão de sites:
KITABU Livraria Negra - Um lugar de encontro da expressividade literária afro-brasileira http://kitabulivraria.wordpress.com/2007/10/28/escravidao-e-cidadania-no-brasil-monarquico/

Sites para navegar:
http://aldeiagriot.blogspot.com/
www.portalafro.com.br
www.anai.org.br
www.ceao.ufba.br
www.ipeafro.org.br
www.irohin.org.br
www.quilombhoje.cbj.net
www.mulheresnegras.org
www.unidadenadiversidade.org.br
Site da UNB (textos sobre preconceito, racismo,etc)
http://www.afroreggae.org.br/sec_links.php
http://www.jusracial.org.br/




Sugestão de livros para ler
________________________
Souza, Marina de Mello e. África e Brasil Africano
Araujo, Kelly Cristina. Áfricas no Brasil
Barbosa, Rogério Andrade. O segredo das tranças e outras histórias africanas
Campos, Carmen Lucia; Carneiro, Sueli; Vilhena, Vera. A cor do preconceito
Bento, Maria Aparecida S. Cidadania em preto e branco
Carneiro, Maria Luiza Tucci Carneiro. O racismo na história do Brasil
Rodrigues, Jaime. O tráfico de escravos para o Brasil
Lanna, Ana Lúcia Duarte. Revoltas da senzala
Galdino, Luiz. Palmares
Faria, Antonio Augusto da C.; Barros, Edgard, Luiz de. Os abolicionistas
Combesque, Marie Agnès. O silêncio e o ódio
Piasecki, Jerry. Meninos em guerra: história de amizade e conflito na África
Braz, Júlio Emílio. Pretinha, eu?
Haggard, H. Rider. Ela
Motto, Maria Lúcia. No tempo da escravidão no Brasil
Barbosa, Rogério Andrade. O amigo do rei

Rocha, Ruth.
Niangara Chena - a cobra curandeira
Machado, Ana Maria. Menina bonita do laço de
Azevedo, Aluísio. O mulato
Guimarães, Bernardo. A escrava Isaura
Scliar, Moacyr. O amigo de Castro Alves
Rezende Filho, José. Tonico
Rezende Filho, José; Brasil, Assis. Tonico e carniça
Drewnick, Raul. Correndo contra o destino
Ortiz, Esmeralda do Carmo. Esmeralda - por que não dancei
Queiros, Raquel de. Cenas brasileiras
____(Coleção Para Gostar de Ler). Nós e os outros
Iacocca, Liliana; Iacocca, Michele. De onde você veio? discutindo preconceitos
Todos temos direitos.
Convivendo com as diferenças
Kindersley, Anabel; Kindersley, Barnabas. Crianças como você
Jesus, Carolina Maria de. Quarto de despejo
Machado, Ana Maria. Do outro mundo
Frei Beto. Alucinando som de tuba
Machado, Ana Maria. Tudo ao mesmo tempo agora
Rocha, Ruth. Romeu e Julieta
Bandeira, Pedro. A hora da verdade
Jaf, Ivan. O super Silva
Novaes, Carlos Eduardo. O imperador da Ursa Maior