23 de set de 2008

Vaidade


"Do alto da minha vaidade,
pensei que ele pudesse me amar". O novo mundo
_________________________
Porque ele ia querer ficar ao meu lado, se choro por não tê-lo e ‘chorarei a vida toda’. Quem gosta de ficar ao lado de alguém que chora? De alguém que não merece ser amada porque não aprendeu a respeitar os limites do outro?
Quem gosta de ficar ao lado de alguém que só tem para dar o carinho ??? Ele’s preferem mulheres independentes, altruístas, inteligentes, que tenham idéias próprias, que gostem de política que saibam se portar decentemente, que vestem máscaras....não ! não!!! Não querem e não gostam de mulheres infantis que expõe a alma, e ponto final. Não tem discussão. Só silêncio, apenas o silêncio, silêncio e dor.
Deste silêncio de morte e dor, pode surgir a arte e quem sabe um dia renascer o amor.

Oh meu Deus porque me reduzistes a isso, porque nascer, viver, sofrer e morrer? Quando eu estava anestesiada eu era mais idiota, mas era mais feliz.

6 de set de 2008

Sonhos que posso ter ou MANTRA + ÁRVORE

Quanto mais eu sonho,
mais eu vivo
quanto mais eu vivo
mais eu sonho
quanto mais eu sonho
mais eu penso
quanto mais eu penso
mais eu sonho
quanto mais eu sonho
mais eu amo
quanto mais eu amo
mais eu sonho
Tanto sonhar é igual a = viver, pensar e amar.
************************************************
QUE TAL UMA ÁRVORE GENEAL ?

4 de set de 2008

Leon Tolstoi


Onde está o amor, Deus está também.
"Olha amanhã para a rua. Eu estarei chegando"

Os três eremitas
- Esquecemos, servo de Deus, esquecemos o que nos ensinastes. Enquanto estávamos aprendendo, lembrávamos da oração. Mas, quando passamos uma hora sem repeti-la, uma palavra desapareceu. Nos a esquecemos e o todo ficou perdido. Não lembramos mais nada da oração. Ensina-nos novamente.


De que vivem os homens
Amor. De amor!
"E todos os homens são mantidos vivos não pelo seu próprio espírito de previsão, mas porque há amor neles."
A morte de Ivan Ilitch
"Assim sendo, ao tomarem conhecimento da morte do colega, o que primeiramente ocorreu a cada um foi a possibilidade própria ou dos amigos nas promoções e transferências que ela iria provocar."
"Como é próprio dos mortos, o seu rosto ficara mais belo e sobretudo, mais digno."
"Ora, bem! Ele morreu e eu estou vivo!" Morrer inerente aos outros. Compêndio de lógica:
"Caio é um homem, os homens são mortais, logo Caio é mortal." Exato para Caio, não para ele.
Caio era abstrato, ele um ser completo e distinto dos demais.
Máscara de seriedade, dignidade e profundeza.
Ivan gemia não tanto de dor, mas de aflição.
"E se toda a minha vida, a minha vida consciente, tivesse realmente errada?"
Jorce, será a existência uma fraude? uma pura ilusão????? Nita, Santa Cruz do Sul, setembro de 2008.

*****************************************************
"Ninguém jamais me entenderá". Leon Tolstói
**************************************************
"Ele nunca se deu ao trabalho de me entender e,
por fim, não me conhece nem um pouco". Condessa Tolstói

******************************************************
"A princípio, finge-se diante das moças que a libertinagem, que enche metade da vida das nossas cidades e aldeias, absolutamente não existe. Depois, as pessoas acostumam-se a tal ponto com este fingimento que, a exemplo dos ingleses, começam também a crer sinceramente que somos todos gente moral e que vivemos num mundo moral. Mas as moças, coitadas, acreditam nisso com toda a sinceridade. Assim acreditou também a minha infeliz mulher. Lembro-me de que, sendo já seu noivo, mostrei-lhe o meu diário, pelo qual ela podia vir a conhecer um pouco do meu passado, principalmente no que se referia à minha última ligação, da qual ela poderia ser informada por outras pessoas e sobre a qual por isto mesmo eu senti a necessidade de falar-lhe. Lembro-me do seu horror, do seu desespero e perplexidade, quando ela o soube e compreendeu. Vi que ela quis me abandonar. E por que não o fez?"Sonata a Kreutzer. Em As obras primas de Leont Tolstói.
______________________________________________
Algumas obras
Amor e ódio : o casamento tumultado de Sônia e Leon Tolstói, uma interessante biografia escrita por William L. Shirer, sobre o longo (48 anos), e tumultuado casamento de um dos casais mais famosos da história literária; - Três mortes, são três narrativas sobre a morte, tema recorrente nos escritos de Tolstói..- Onde está o amor, Deus está também, fala sobre o amor ao próximo, como forma de encontrarmos Deus, trata-se de uma fábula alegórica;- Senhores e servos, conto que relata uma viagem à negócios de Vassílii Andrèitch e seu criado Nikita, além de recorrer ao tema da morte, faz um brilhante elogio ao modo de vida dos camponeses “Como todos aqueles que vivem mais perto da natureza e já experimentaram a miséria, tinha muita paciência e poderia esperar horas e dias inteiros sem irritação e sem nervosismo”. Ambos morrem em circunstâncias diversas. O conto termina com uma dúvida implacável: “Estará melhor ou pior no mundo em que foi acordar depois da sua morte? Terá se decepcionado ou encontrou lá precisamente aquilo que desejava? Um dia todos nós o saberemos.” Este conto foi a causa de terríveis brigas entre o casal.- Ássia, de Turguêniev, comecei a ler esta novela. Turguêniev foi contemporâneo de Tolstói e o impulsionou na carreira literária. Tiveram divergências ao ponto de desafiarem um ao outro para um duelo. Talvez ele o considerasse um rival, assim como Dostoievski, do qual Tolstói fez o seguinte comentário: Não consegui terminar Os irmãos Karamazov, e sobre Crime e castigo? “Li alguns capítulos do início, e pode-se adivinhar tudo que virá em seguida”. Ôôô Geniozinho difícil, arre!