20 de fev de 2013

"Não discuto com o destino o que pintar eu assino." P. Leminski

Em Curitiba, enquanto eu subia deslumbrada, as escadas para chegar à exposição do Paulo Leminski no MON, escondendo as lágrimas, ao ver o processo de criação e construção da grande obra arquitetônica do nosso querido Oscar Niemeyer (de tirar o fôlego dos mais exaltados e de arrancar lágrimas dos mais bobos, como eu), o Seu José Claudinei já subira os lances de escada, já olhara em alguns poucos minutos, talvez segundos, a exposição e com a cara 'deslavada' disse-me o seguinte: - Olha, vou te esperar aqui fora, pois te conheço, tu vais ficar umas 5horas aí dentro, tá bem legal! E foi o que fiz. Fiquei aproximadamente 5 horas me deliciando com belas imagens, fotos, cartas, desenhos, pinturas, cadernos, rascunhos, objetos pessoais, livros, músicas, etc. Tirei inúmeras fotos, todas com a ajuda de uma das minhas partes, que já não sei bem qual foi.
Estou lendo alguns livros do Paulo Leminski, hoje. Deu saudade. Olhei algumas fotos reli alguns poemas, imaginei e bloguei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário