14 de jun de 2008

Silêncio


Ambos se contemplam em silêncio, sem poder nenhum deles esconder o espanto que lhe causavam a visão do adversário:
"Príamo, o velho Dardânia, o vulto de Aquiles admira,
sua imponência e estatura, que um deus imortal parecia.
Não menor pasmo de Aquiles se apossa ante a vista de Príamo, vendo-lhe a nobre aparência e escutando-lhe os nobres conceitos."
(v. 629-32) Ilíada.
Ficam para trás os agitados movimentos, os gritos estridentes, os berros alarmantes, os grandes alaridos, os berros estonteantes.
Ficam para trás as bigas e os cavalos, as carroças e os corcéis, os combates e os afagos, ficam para trás os lauréis.
Ficam para trás os acordes da sinfonia, os alaridos, as ventanias, as guerras, e todo o fugaz movimento... agora as discordâncias se harmonizam em acordes serenos, num eterno momento.
"Se queres a paz, prepara-te para a guerra, se não queres nada, descanse em paz."

Nenhum comentário:

Postar um comentário