3 de jun de 2008

Síntese entre a tese vida e a antitese morte




Escarro minha alma, vida turva. Conto as horas e o tempo a passar..., Olho para o céu vejo um guarda chuva Onde estão os sonhos para eu sonhar ? Nos livros vou buscando meu alento, na poesia encontro alegria e deixo o meu sofrimento. O escarro que eu cuspira agora quer voltar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário