7 de jun de 2009

Amando o amor ou relatividade

Estou sem tempo para criar e escrivinhar no meu blog coisas que a Jorce inventa e a Nita acrescenta, então copio daqui e colo dali, coisas dos outros, para não deixar de atualizar aqui!

Copiei de um blog esta imagem:

Copiei de uma revista, esta passagem de Ernesto Cardenal, poeta e monge nicaraguense:

Amando o amor - Ernesto Cardenal

"Quando eu te perdi, tu e eu perdemos.
Eu, por que era tu quem eu mais amava;
E tu, por que era eu quem te amava mais.
Mas de nós dois, quem mais perdeu foi tu,
Porque eu poderei amar a outras como amava a ti,
Mas a ti, jamais poderão te amar como te amava eu."

2 comentários:

  1. Amar, amar, amar...sentimento tão sublime do qual muitas vezes o homem não é digno.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. É isso aí Lari!
    Concordo com você.
    Beijô

    ResponderExcluir