23 de nov de 2009

O livro e a revolução I

Em março de 1872, um livro aterrissou na mesa do censor czarista: 674 páginas de densas análises estatísticas...."É possível afirmar com certeza que muito poucas pessoas na Rússia a lerão, e ainda menos a compreenderão " disse o primeiro censor. O segundo censor afirmou que as críticas no livro não se aplicavam a Rússia, onde a "exploração capitalista" tratada pelo livro nunca fora vivenciada.
Assim, O capital de Marx foi lançado na Rússia...a obra levou a Rússia a fazer a revolução russa mais cedo do que em qualquer outra sociedade ocidental a qual se dirigia.
Figes, Orlando. A tragédia de um povo. São Paulo: Record, 1999.

Nenhum comentário:

Postar um comentário