14 de jan de 2009

Gatos

*Su: 14 jan (18 horas atrás)

Oi JÔ, ai vai a edição final (sob a minha ótica) da releitura do poema Mário Quintana:

O GATO (**OS GATOS: meus companheiros nessa vida)

O gato chega à porta do quarto onde escrevo.
(**escrevo, leio, vejo TV...)
Entrepara...hesita...avança...
(**corre e pula no meu colo, tem sempre um comigo)
Fita-me.
(** parece querer falar...)
Fitamo-nos.
Olhos nos olhos...
Quase com terror!
(**Não!!! cheios de AMOR)
Como duas criaturas incomunicáveis e solitárias
(**Como duas criaturas de espécies diferentes mas, com comunicação total, quase telepática e nada solitárias)
Que fossem feitas cada uma por um Deus diferente.
(**Feitas pelo mesmo Deus amoroso, que fez e ama todas criaturas igualmente)Su Responder

Da minha amiga, parceria, alegria, que ama gatos e nem sei como ainda me aguenta!
Beijos Sueli Ap. Thomazine, que conheci na FURG, que se tornou presente no meu devir e que mesmo depois de anos ainda hoje me faz sorrir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário