8 de nov de 2008

Amiga

Bem, às vezes quando leio, penso, outras vezes repenso, outras vezes a leitura me impulsiona a mudar. Quase sempre sinto mais e mais vontade de ler, e algumas vezes, tento e tenho que escrever.
Como agora, acabo de ler o poema "A duas flores" de Castro Alves, e tive que escrever, tive que plagiar. Dias depois a Carmen Rohr, sugeriu um link, e aí está!

Tenho uma grande amiga
é como uma jóia esculpida
com carrara no meu jardim
vive na casa em que moro
e quando às vezes eu oro
vejo ela zombando de mim

Unidas! riem aos prantos
E brincam de outros tantos
e às vezes querem dançar
Suspiram com grande desgosto
fazendo beicinhos de dar gosto
dizendo, só saber amar

Unidas! ai quem me dera!
Nirvana! é o que elas esperam
Duplas de amigas Benditas
Anseiam encontrar abrigo
Buscando sempre o equilíbrio
São muitas Jorces e Nitas

Rumam sempre ao infinito
Sabendo que tudo é finito
Nesta trajetória antiga
Uma é séria outra serena
Ambas eternas morenas
e con-fi-den-ci-ais amigas

Nenhum comentário:

Postar um comentário