13 de out de 2008

Dostoiévski


Fase russa
"O sentido prático é difícil de criar, e não cai do céu aos trambolhões. E há quase duzentos anos que nós temos as costas voltadas a tudo quanto é pratico...Idéias sim, pululam (...) o desejo do bem existe, embora sob uma forma pueril, e honestidade também se encontra, apesar de que, visíveis ou encobertos, abundam os velhacos; mas quanto ao sentido prático, não existe de maneira nenhuma. Quanto ao senso prático, nada!" Dostoiévski. Crime e castigo. Porto Alegre: L&PM, 2007. pág. 166
==========================
-Isso é um lugar-comum!
-Não, não é um lugar-comum! Por exemplo, se em outra época tivessem me dito: "Ama o teu próximo", e eu o tivesse amado, o que teria resultado disso? - continuou a dizer Piotr Pietróvitch, talvez com demasiada pressa. - O resultado seria eu ter rasgado o meu cafetã em dois, ter repartido com o próximo, e ficaríamos em dois remediados, como diz o ditado russo: "Persegue várias lebres ao mesmo tempo e ficarás sem nenhuma". Mas a ciência diz: "Antes de mais nada ama-te a ti próprio, porque tudo no mundo está baseado no interesse pessoal. Se amares a ti próprio farás os teus negócios como devem esr, e o teu cafetã permanecerá inteiro. O direito econômico nos diz que quanto mais negócios particulares existem na sociedade e, por assim dizer, mais cafetãs inteiros, tanto melhor para a firmeza dos seus fundamentos e tanto melhor para a gestão do negócio coletivo. Por isso, cuidar única e exclusivamente de mim é precisamente a maneira de também cuidar dos outros e fazer com que o meu próximo receba algo mais do que um cafetã partido em dois, e isso sem ser devido a mercês particulares e únicas, mas como consequência do progresso geral." pág. 167

Nenhum comentário:

Postar um comentário