19 de out de 2008

"Eu não podia viver sem livros e deixei de sonhar em casar com um príncipe chinês." Nastenka

"A inteligência só favorece a beleza." p.26
"Quando o meu coração fala a minha boca não se sabe calar." p.27
"Sou um sonhador; a minha vida real é tão reduzida que momentos como estes que agora vivo são para mim de tal modo preciosos que não poderei evitar de os reproduzir nos meus sonhos....Uma vez, cheguei mesmo a chorar por causa de uma recordação semelhante à que de si vou guardar." p.32
"O sonhador, para o definir pormenorizadamente, não é um homem, é uma espécie de criatura do gênero neutro. Aloja-se, na maior parte do tempo, num inacessível refúgio, como se pretendesse até ocultar-se da luz do dia, e, uma vez encolhido na sua toca, metido na sua casota como o caracol, ou pelo menos parece-se muito, neste aspecto, com esse curioso bichinho que é simultâneamente um animal e uma casa e que se chama tartaruga." p.45
"Sentimos que, por fim, essa inesgotável fantasia se fatiga, se esgota numa perpétua tensão, porque amadurecemos e superamos os nossos ideais antigos, os quais se desfazem em pó e se desmoronam, e, se não existe outra vida, é preciso construí-la mesmo com essas ruínas." p.66
"Que o teu céu seja luminoso, que seja claro e sereno o teu gentil sorriso e bendita sejas tu própria pelo minuto de felicidade e de alegria que proporcionaste a um coração solitário e grato.
Meu Deus! Um minuto inteiro de felicidade! Afinal, não basta isso para encher a vida inteira de um homem?..."
DOSTOYEVSKY, Fyodor; LOURDES, Carlos trad. Noites brancas. [S.l.]: Publicações Europa-América, 1973. 140p

Nenhum comentário:

Postar um comentário