22 de out de 2008

Sentido de felicidade

Estes dias passei uma tarde terrivelmente intranquila. A música não me acalmava, o serviço não me distraia, o tempo não escoava, nada me tranquilizava. Encontrava-me terrivelmente agitada por dentro, tudo em mim vibrava com uma inquietude tamanha que extrapolava meu ser. Era um misto de angústia e felicidade, de desejos universais e particular, de alma dilatada e contraída. Parece que eu sabia, eu sentia. Ele viria. As 17 horas não aguentei mais e desmaiei meu coração atribulado para mais uma pessoa. Me acalmei.
Quanto estamos cheios, transbordando...é bom conversar, desabafar com alguém para relaxar. Ás vezes este alguém é um escritor, um professor, um poeta, um artista, um amigo, um personagem, uma folha em branco, ou simplesmente um espaço vazio....Desabafei e me acalmei. E a noite, ele chegou...
Mas eu não disse! ou melhor, eu não senti?!!

E para não fugir a regra, + uma vez por minha conta e risco só fiz "merda"!

"Amanhã serei feliz! A felicidade não conhece o amanhã; nem mesmo o ontem; não se lembra do passado nem pensa no futuro; ela tem o presente - ainda assim, não um dia, mas um atímo." Turguêniev.

Nenhum comentário:

Postar um comentário