5 de fev de 2009

Claro, Clara, Claridade

A vida me pregou uma bela peça hoje, merda! Sempre encontro algo para me maravilhar!
Será que sou idiota, mesmo?? Sei que a vida não é este conto de contos, tem os subterrâneos também...mas adoro, inclusive....

O mundo...como é mesmo Igor?? háháhá é redooondo, bem redooonnno (ato falho). Claro, Clara, Claridade.

"Quando escolhi a selva,
para aprender a ser,
folha por folha,
estendi as minhas lições
e aprendi a ser raiz,
barro profundo,
terra calada,
noite cristalina,
e pouco a pouco mais,
toda a selva".
Pablo Neruda

Poema que copiei no Memorial da América Latina em Sampa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário