5 de fev de 2009

Ainda do Memorial da América Latina

No memorial me deparei com J. L. Borges!

Ignoramos o
sentido do Dragão
Como ignoramos o
sentido do universo.
Mas algo há em sua
imagem que se har-
moniza com a imaginação
dos homens. E assim
o dragão surge em diferentes
épocas e latidudes.
J. L. Borges


Americanos e latinos,
vento quente do Equador,
brisa mansa do lado Andino
Meus pés doendo de tanta dor
Dói cabeça, dói braços, dói até a bunda
Mas vamos lá, pega o metrô e desce na Barra Funda!
Prédios,
Far
Cidade
mácia
Cidade
Pes
Cidade
soas
CiDAde
Tô na dúvida, linha verde ou linha azul, Paraiso ou Liberdade?

"O Memorial da América Latina é um complexo cultural cujo conjunto arquitetônico desenhado por Oscar Niemeyer ocupa 84.480 m2 da Barra Funda, em São Paulo. Entre os equipamentos desta fundação pública estadual, destaca-se o espaço museológico do Pavilhão da Criatividade. Ele abriga cerca de 4 mil peças artesanais do Uruguai, Paraguai, Brasil, Chile, Bolívia, Equador, Peru, Guatemala e México. Outro espaço de exposição é a Galeria Marta Traba, que organiza mostras de arte contemporânea e antologias de importantes artistas latino-americanos. A música erudita e popular, o teatro, a dança e o cinema também têm lugar no Memorial, em um dos maiores anfiteatros do Estado, o Auditório Simón Bolívar, com capacidade para 1609 pessoas. Concebido para integrar, divulgar e fomentar a cultura latino-americana, o Memorial ainda oferece ao público uma biblioteca com livros, jornais, periódicos, revistas, filmes e gravações sonoras sobre a história da América Latina".

Nenhum comentário:

Postar um comentário