1 de fev de 2009

Crepúsculo dos ídolos

Hoje irei ler Crepúsculo dos ídolos. Muitas anotações farei em minha agenda pessoal e outras deixarei aqui registradas em bits e bytes de luz.

A mulher perfeita faz literatura, tal como faz às vezes um pecado pequeno: de passagem, para experimentar, voltando a cabeça para ver se está alguém a reparar nela, e para que reparem nela... Nietzsche._________________________________________________________

A fórmula da minha felicidade: um sim, um não, uma linha recta, uma finalidade ... Nietzsche._________________________________________________________

Anotações perdidas e quase esquecidas no crepúsculo do meu dia: - É possível conhecer algo efetivamente ? O quê efetivamente conhecemos? É profundamente lamentável, mas não sei conhecer e tampouco consigo, na maior parte do tempo, como Sócrates dominar meus instintos. In: Crepúsculo do ídolos, p.26, leia-se : "Razão=virtude=felicidade significa tão-só: é preciso imitar Sócrates, e lutar contra os apetites obscuros, expondo-os permanentemente à luz do dia - à luz da razão. Sejamos prudentes, precisos, claros; toda a concessão feita aos instintos e ao inconsciente rebaixa...".

Nenhum comentário:

Postar um comentário