8 de fev de 2009

Sobre morar só

Tenho experimentado o gostinho de morar só e estou satisfeita, podem crer.
Saio quando nem espero, visto a roupa que quero, chego a hora que bem entender.
Aprendi a escolher, aprendi a distinguir, sou dona meu nariz.
Existe coisa melhor do que sentir-se livre?
Livre para decidir pequenas coisas: com quem vai jantar, o quê vai jantar, se vai ler ou navegar, assistir um filme ou namorar, dormir ou sair para dançar, via andante ou viajar. Sempre estou comigo mesma, procuro não me perder de vista, e do alto da minha solidão escolho e acolho.
Será isso natural? Será este um fenômeno mundial?
Evitarei terminantemente de me apegar a alguém em especial serei dura comigo mesma. Me apegarei à vida no mundo e ao meu caminhar. Sei onde meus pés estão, não sei onde eles vão me levar.

Talvez ao "sítio aonde nos esperam."

Nenhum comentário:

Postar um comentário